Plataforma foi multada em 1,2 milhão de euros por autoridades na Espanha por não informar que informações pessoais seriam usadas por anunciantes

Brasil Econômico

O Facebook foi multado em 1,2 milhão de euros (cerca de R$ 4,4 milhões) na Espanha por coletar informações de usuários e não informar como o conteúdo seria utilizado. De acordo com a agência de notícias "Reuters", a AEPD (Agencia Española de Protección de Datos), responsável por investigar casos como este, afirma que a rede social usa "termos genéricos e pouco claros" para explicar como funciona sua política de privacidade.

Leia também: Como saber se alguém usa sua senha e invade sua conta no Facebook?

A AEPD afirma ter encontrado três casos em que o Facebook coletou dados como gênero, religião, gostos pessoais e até mesmo o histórico de navegação de milhões de usuários da Espanha sem, necessariamente, informar como estes dados seriam aproveitados. "A rede social usa especificamente dados protegidos para propaganda, entre outros propósitos, sem obter o consentimento expresso dos usuários como determina a lei de proteção de dados", diz o órgão.

Multa é relativamente baixa se comparada à receita e ao valor de mercado estimado para o Facebook
shutterstock
Multa é relativamente baixa se comparada à receita e ao valor de mercado estimado para o Facebook

Leia também: Facebook anuncia mudanças para evitar vídeos "caça-cliques" no feed de notícias

A agência afirma, ainda, que, por meio de cookies do navegador, a empresa consegue coletar dados de pessoas que nem estejam cadastradas na rede social, desde que a página visitada por ela tenha um botão de curtir. A análise da AEPD também aponta que informações particulares foram mantidas por mais de um ano com a plataforma após os usuários excluírem suas contas.

Em nota ao site "The Next Web", a rede social afirma que discorda respeitosamente da decisão e que leva a sério as questões de privacidade dos usuários na plataforma. "Como deixamos claro para a AEPD, os usuários escolhem quais informações eles desejam adicionar ao seu perfil e compartilhar com outros", diz a empresa. "No entanto, nós não usamos essa informação para direcionar anúncios para as pessoas".

Vale lembrar que a multa é relativamente baixa se comparada à receita de US$ 9,32 bilhões (R$ 28,7 bilhões, aproximadamente) registrada pela empresa no segundo trimestre e a seu valor de mercado estimado em US$ 435 bilhões (R$ 1,3 trilhão). De acordo com "The Next Web", o valor aparenta ter sido determinado antes da criação da GDPR (General Data Protection Regulation), que permite estabelecer multas com uma porcentagem da receita anual da empresa.

Leia também: Facebook testa recurso inspirado no Tinder para amigos se reunirem na vida real

Recentemente, o Facebook está sendo alvo de diversos países europeus por questões sobre a privacidade dos usuários. Em maio, a empresa foi multada em 150 mil euros (R$ 550 mil) na França por não impedir os anunciantes de acessarem informações dos usuários. A medida fez parte de uma investigação realizada em conjunto com autoridades de Bélgica, Holanda, Espanha e Alemanha.

    Leia tudo sobre: Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.