Mesmo com poucas novidades, novo Moto G é intermediário de destaque

Por Emily Canto Nunes , iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Novo smartphone da Motorola mantém as qualidades que fizeram o sucesso de seu antecessor

Um dos responsáveis por trazer a Motorola de volta à briga pelo mercado brasileiro de smartphones, o Moto G chegou à sua segunda versão. As configurações que tornaram o aparelho um sucesso de público e crítica são praticamente as mesmas, mas algumas novidades podem ser decisivas para aquele usuário que pensou em comprar um Moto G, mas não o fez ainda.

LEIA TAMBÉM: Testes do ZenFone 5, do Xperia T3, e do G2 Mini

Além da opção com dual chip e TV Digital, o novo Moto G tem tela de cinco polegadas, som estéreo frontal e duplo, câmeras de maior resolução e memória de armazenamento expansível com cartão MicroSD. Novamente, um aparelho e tanto.

A favor:

- Excelente custo/benefício;
- Versão praticamente "pura" do Android;
- Som estéreo;
- TV Digital;

Contra:

- Sem versão 4G;
- 1 GB de memória RAM;
- Bateria não-removível.

Novo Moto G foi lançado mundialmente em setembro de 2014. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloAparelho da Motorola roda a versão mais próxima do chamado Android puro. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloVersão testada pelo iG era dual sim com 16 GB de armazenamento. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloNa traseira, uma atualização: a câmera agora tem 8 megapixels. A frontal também teve um aumento: 2 megapixels. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloVersão testada pelo iG vem com duas opções de capas traseiras, uma preta e outra azul turquesa. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloVersão 2014 do Moto G tem som duplo frontal e estéreo: uma ótima melhoria em relação ao anterior. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloTela de 5 polegadas deixou o aparelho maior em altura, mas sua espessura continua fininha. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloCarregamento é feito por uma entrada MicroUSB de 3.5 mm. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloLayout do Moto G continua o mesmo: botão de liga e desliga e de volume na lateral direita, para facilitar o acesso do dedão. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloCapa na cor turquesa deixa o aparelho mais descolado. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloMoto G 2014 e Moto X 2013 lado a lado: a diferença de tela parece ainda maior e não apenas de 0,5 polegadas. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloO Moto G 2014 é levemente mais fino do que o Moto X 2013. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloFones de ouvido estéreo tem microfone embutido e vem na cor branca. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloAntena para TV Digital também vem na cor branca. Foto: Emily Canto Nunes/iG São PauloAlém do fone de ouvido e da antena, o aparelho vem com uma capa extra, cabo de sincronismo e carregador de parede na caixa. Foto: Emily Canto Nunes/iG São Paulo

Design

Não espere grandes mudanças de layout na versão 2014 do Moto G. Em termos gerais, o aparelho é o mesmo: preto, com bordas finas e arredondas nos cantos, tampa traseira de um plástico que é rígido e fosco. Para além da tela de cinco polegadas, as novidades estão mesmo é nos detalhes.

Na frente, duas longas barras prateadas – uma na parte superior da tela e outra na parte inferior – escondem os alto-falantes ao mesmo tempo em que deixam o aparelho elegante. O único problema desse novo desenho é que, vira e mexe, o usuário pode pegar o seu Moto G de ponta-cabeça – afinal, as barras são iguais –, mas isso não chega a ser um impeditivo de compra, é claro.

A capa traseira também está mais fácil de ser destacada do aparelho e, além da opção em preto, o Moto G 2014 dual chip, 16 GB, e com TV Digital (XT1069) testado pelo iG veio com uma segunda capa na cor turquesa. O aspecto emborrachado das capas ajuda na hora de segurar o dispositivo, mas pode desagradar quem detesta marcas de dedos. Digitais ficam por tudo se você não fizer uma mínima higiene no aparelho. Na capa na cor preta elas aparecem mais do que na azul.

Outro detalhe interessante e que aproxima o Moto G do Moto X é o símbolo da Motorola em baixo relevo e na cor prata em ambas as capas. Mais um toque de sofisticação em um aparelho que não é encarado como topo de linha pela fabricante. No entanto, os demais acessórios de fábrica dão um tom descontraído ao smartphone que é bem diferente do que encontramos no novo Moto X. No Moto G 2014, o fone de ouvido e antena física da TV Digital são brancos.

Emily Canto Nunes/iG São Paulo
Moto G 2014 é dual chip 3G

Configuração

As novidades em termos de configurações também são poucas e podem decepcionar que pretendia fazer um upgrade da versão 2013 para a 2014. O processador, por exemplo, é o mesmo: um Qualcomm Snapdragon 400 quad-core de 1.2 GHz (MSM8226) Adreno 305 @450 MHz GPU.

A memória RAM de 1 GB também permanece inalterada. O valor de 1 GB é o padrão para celulares intermediários, mas com o recente lançamento do Zenfone 5 com preço semelhante e 2 GB de RAM, nesse quesito o novo Moto G ficou para trás, pelo menos em relação ao smartphone da Asus.

A versão testada pelo iG foi a de 16 GB, que se mostrou uma escolha mais acertada, uma vez que só os arquivos de sistema ocupavam 6 GB. Para quem optar pela versão 8 GB, também disponível no Brasil, o Moto G traz uma importante atualização. Diferentemente da versão do ano passado, o aparelho tem espaço para cartão de memória do tipo MicroSD de até 32 GB. Para quem gosta de carregar músicas, fotos e vídeos é a notícia que faltava.

Mesmo sem grandes melhorias no hardware, o Moto G segue como um intermediário satisfatório. Nos experimentos realizados pelo iG durante as semanas de avaliação, o aparelho travou muito pouco. Nos testes de câmeras, coincidentemente realizados em dias de muito calor, o smartphone travou e esquentou um pouco, mas tal comportamento não se mostrou um padrão em outros testes de câmeras feitos em dias mais amenos. O Moto G também rodou com facilidade jogos mais pesados como Dead Trigger 2 e Galaxy On Fire 2 HD.

Nos testes de benchmark a versão 2014 do aparelho não decepcionou: foram 16.527 pontos no AnTuTu, pouco menos que a versão de 2013. No Quadrant Standard foram 8.236 pontos, 1.674 no Vellamo HTML 5, 604 no Vellamo Metal e 1.380 no Vellamo Multicore. São valores similares ao Moto G de 2013 e um pouco inferiores ao ZenFone 5, lançamento da Asus.

O Moto G também tem bons recursos de conectividade: Wi-Fi, Wi-Fi Direct – que transforma o dispositivo em um ponto de acesso para outros equipamentos, eliminando a necessidade de um roteador – Bluetooth 4.0 e espaço para dois chips 3G. Por enquanto não se tem notícia de uma versão 4G – há uma versão 3G com 8GB, uma dual sim de 8 GB e uma dual sim de 16 GB e uma quarta, a que o iG testou, dual sim com 16 GB e TV Digital. Mas vale lembrar que uma versão 4G do Moto G original, com tela menor e sem TV digital, ainda está à venda.

Emily Canto Nunes/iG São Paulo
Tela LCD IPS tem cores vibrantes e linhas bem definidas

Tela

Foram poucas as mudanças na tela além das cinco polegadas. Ainda assim, segue sendo uma tela LCD IPS de qualidade, HD (1280x720), com 16 milhões de cores, 294 ppi de densidade e proteção Gorilla Glass 3 contra riscos e arranhões. A tela do Moto G não só é bastante nítida, com cores vibrantes, linhas bem definidas e visíveis a um bom ângulo de visão, como também possui um revestimento repelente à água que é legal.

Mas, atenção: essa proteção não funciona como a de outros celulares que permitem inclusive a submersão do aparelho. Neste caso, o revestimento apenas melhora a experiência de uso do usuário que pega uma chuva no caminho de casa, por exemplo.

Sistema e aplicativos

Um dos grandes trunfos da Motorola também está presente na versão 2014 do Moto G. Mais uma vez a fabricante pode se orgulhar de entregar ao seu usuário a experiência mais próxima a de um Android puro do mercado. A presença da Motorola no sistema, diferente do que acontece em aparelhos de concorrentes que chegam cheios de aplicativos e modificações de estilo no Android, é sutil. A versão atual do Android é a 4.4.4 codinome KitKat, mas a Motorola já anunciou que atualizará seus aparelhos para a mais recente versão codinome Lollipop.

Isso tudo não quer dizer, porém, que não existam aplicativos pré-instalados. Eles existem, sim, mas a verdade é que eles são bastante úteis, especialmente para usuários frequentes da Motorola, e não chegam a incomodar. Ao contrário de alguns concorrentes, a fabricante de origem americana (agora pertencente a Lenovo) não coloca seus apps na primeira página do celular. Além do aplicativo de Ajuda, que ensina o cliente a usar seu novo smartphone Android, e que é bastante recorrente em outras marcas, estão o Alerta, o Assist e o Migração Motorola, todos realmente bons.

O Alerta é um aplicativo para emergências. Com um ou mais contatos configurados o usuário pode enviar mensagens de texto com coordenadas geográficas para que o outro o encontre ou ainda enviar alertas do tipo “Siga-me”, que manda atualizações de localização do aparelho – e de seu dono – a cada 5 minutos ou mais. Inicialmente, o aplicativo pode parecer meio exagerado, mas a verdade é que se você está em uma situação de perigo como um desastre natural ou caminhando por uma zona perigosa, ele pode ser interessante.

Já o Assist, como o nome diz, é um assistente da Motorola. A ideia é que ele ajude o usuário a automatizar algumas das tarefas realizadas diariamente no smartphone, como silenciar o aparelho à noite. Para quem já é usuário da Motorola o Migração é a chamada “mão na roda”. No caso de aparelhos com Android, ele copia fotos, vídeos, mensagens de textos e até as chamadas recentes para o novo aparelho com a simples leitura de um QR Code de um aparelho para o outro. Para fazer o aplicativo funcionar basta estar com ambos conectados na mesma rede e próximos. A migração de Android para Android é a mais completa, mas também é possível copiar contatos e a agenda de um iPhone, da Apple.

Bateria

Com a mesma capacidade que a versão anterior, 2070mAh, mas com uma tela maior, o Moto G teve um bom desempenho no teste intensivo do iG. Rodando um vídeo em tela cheia, com brilho no máximo e Wi-Fi ligado, a bateria durou 6h30, valor que pode ser considerado bom. Em dias de uso normal, com navegação em sites e redes sociais, conexão 3G e Wi-Fi ligados, a bateria durou pouco mais de 12 horas, um resultado normal para aparelhos intermediários.

Vale mencionar que, tal qual o modelo de 2013, sua bateria não é removível. Se você é do tipo que faz um uso intenso do aparelho a saída pode ser comprar uma bateria portátil para levar sempre junto com seu Moto G 2014.

Câmera

Seguindo a tendência de outros concorrentes, o Moto G traz câmeras com configurações melhores em 2014. A frontal passa a ter 2 megapixels, em vez de 1.3 megapixels, enquanto a traseira tem 8 megapixels e não 5 megapixels. Não é um aparelho com câmera para selfie como os de outros concorrentes, mas ainda assim apresenta suas qualidades. Além da qualidade, a câmera traseira vem com auto foco e pode ser acionada pelo botão de aumentar volume na lateral do aparelho. Com ela, é possível fazer vídeos em HD de 720p.

Em termos gerais, o único porém da câmera está nas para fotos noturnas. O granulado ainda é bastante presente. Em imagens feitas em dias claros a câmera consegue extrai bem as cores. O controle de foco e de exposição da luz permitem algumas variações bem interessantes e fotografias mais autorais. Em dias de calor, não se assuste se a parte traseira do aparelho, mais especificamente onde fica a câmera, esquentar, e se o aplicativo engasgar. Aconteceu algumas vezes nos testes feitos pelo iG, mas é preciso dizer que os dias estavam realmente quentes.

Música e mídia

Neste quesito há dois aspectos importantes para destacar. O primeiro é que a versão brasileira do Moto G tem TV Digital. O que era um a mais em alguns aparelhos intermediários está sem tornando padrão. Aliás, segundo a própria Motorola, esse recurso é exclusivo para o Brasil. Para fazê-lo funcionar, é fácil. Só plugar a antena e o fone de ouvido na antena. A imagem não é das melhores, mas essa não entra na conta da fabricante, mas sim na do sinal nacional.

Outro destaque importante e que deve atrair a atenção de quem compra smartphone também para ver vídeos e jogar é o som frontal estéreo e duplo. Quem está acostumado com caixas de som na parte traseira dos aparelhos – mesmo naqueles considerados top de linha como o Moto X 2013 – vai sentir rápido a diferença. E é possível que se acostume mal, uma vez que qualquer experiência sonora ganha outra dimensão com essas duas caixas de som.

Conclusão

Mais uma vez a Motorola acerta ao lançar um aparelho de preço intermediário, com boas configurações de hardware, a mais recente versão do Android e promessa de atualização. Na versão 2014 a fabricante americana prova que entendeu o mercado brasileiro ao trazer não só dual-chip, mas também o recurso de TV Digital e opções com mais memória. Resta saber se mesmo sem 4G o aparelho fará o mesmo estrondo que sua primeira edição. Calibre para continuar na disputa pelo brasileiro o Moto G tem.

Ficha técnica

Moto G 2014

Preço: R$ 799
Configuração: Tela de 5 polegadas com resolução de 720 X 1280 pixels (HD), sistema Android 4.4.4 KitKat, processador Qualcomm Snapdragon 400 com 1,2 GHz quad-core CPU, 1 GB de RAM, Dual SIM 3G, 16 GB de armazenamento interno, espaço para cartão microSD, DTV (TV digital), câmera frontal de 2 megapixels, câmera traseira de 8 megapixels, Wifi 802.11 b/g/n, Bluetooth 4.0 (BLE), entrada Micro USB e entrada para fone de ouvido de 3.5mm.
Dimensões: 70,7 X 141,5 X
Peso: 149g
Bateria: 2070 mAh
Alto falantes: dois frontais e estéreo de 12x15x3.0mm
Itens inclusos na caixa: um telefone preto, duas tampas Motorola Shells, uma azul e outra preta, fone de ouvido estéreo branco, cabo para sincronismo de dado na cor preta, carregador de parede na cor preta, antena para TV Digital na cor branca. Garantia e Manual.

Leia tudo sobre: motorolamoto gsmartphones

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas