Tamanho do texto

Processo de implantação da criptografia de ponta-a-ponta em versões mais recentes do aplicativo foi concluído

WhatsApp passou a exibir mensagem de alerta sobre criptografia
Reprodução
WhatsApp passou a exibir mensagem de alerta sobre criptografia

Mesmo envolvido em polêmicas por não disponibilizar mensagens enviadas por envolvidos em investigações, o WhatsApp continua desenvolvendo a criptografia usada em conversas. O aplicativo, que chegou a ser bloqueado no Brasil, anunciou que utilizará criptografia de ponta-a-ponta para proteger a privacidade dos usuários.

A partir de agora, as versões mais recentes do app enviarão mensagens, ligações e arquivos com o novo padrão de segurança. O objetivo é impedir que as mensagens enviadas pelo aplicativo recebam a interferência de agentes que não estejam realmente na conversa.

De acordo com o aplicativo, as mensagens são protegidas com uma espécie de cadeado. Para desbloquear e ler o conteúdo, será necessário ter uma chave especial que somente os dispositivos do remetente e do destinatário terão. A mudança foi automaticamente ativada para usuários das versões mais recentes, sem a necessidade de alterar as configurações ou criar conversas secretas.

O aplicativo passou a exibir um alerta sobre o assunto. "As mensagens que você enviar para esta conversa e chamadas agora são protegidas com criptografia de ponta-a-ponta". Segundo o aplicativo, a criptografia de ponta-a-ponta não permitirá que cibercriminosos, hackers, governo ou nem mesmo o WhatsApp tenham acesso à comunicação dos usuários.

O usuário pode entender como funciona a criptografia de ponta-a-ponta por meio do recurso 'Confirmar código de segurança' de cada conversa. O código está disponível em forma de QR Code ou sequência númerica e pode ser encontrado depois de tocar no nome da pessoa com quem o usuário está conversando. As informações são únicas para cada conversa. Entretanto, o WhatsApp lembra que o código não representa a chave real da conversa. Segundo o aplicativo, esta informação é guardada em sigilo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.