Tamanho do texto

Ato é considerado roubo, crime não tolerado para as leis locais

Medida foi considerada exagerada para muitas pessoas, inclusive religiosos que moram no país
Qiaomeng / Flickr
Medida foi considerada exagerada para muitas pessoas, inclusive religiosos que moram no país

Usar o wi-fi de uma outra pessoa sem sua permissão pode ser considerado "crime" na Arábia Saudita. É o que determina uma nova fatwa, pronunciamento legal sempre emitido por um jurista religioso (o mufti) em países islâmicos, expedida recentemente por um intelectual saudita.

Segundo Ali Al Hakami, responsável pela "opinião legal", usar a conexão de internet privada de alguém sem a autorização deve ser extremamente proibido já que, de acordo com as leis islâmicas, roubo não pode ser tolerado.

"Tirar vantagem do serviço wi-fi ilegalmente ou sem que os outros beneficiários ou proprietários saibam não é permitido", disse o saudita, que ainda explicou que usar a conexão de internet pública de locais como parques, cafeterias e hotéis não tem problema.

A medida pareceu, para muitas pessoas, inclusive religiosos que moram no país, como exagerada e desnecessária. No entanto, a emissão de fatwas semelhantes a essas já é comum na Arábia Saudita e em outras nações islâmicas. Na Indonésia, por exemplo, alguns emojis que eram "LGBT-friendly" foram proibidos de serem usados por um grupo religioso local.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.