Tamanho do texto

Levantamento apontou que e-mails e sites falsos são as táticas mais usadas por cibercriminosos nos 26 países analisados

No Brasil, 95% dos programas maliciosos visam o roubo de informações bancárias
Thinkstock
No Brasil, 95% dos programas maliciosos visam o roubo de informações bancárias

Uma pesquisa mostrou que 48% dos usuários já foram alvo de golpes, que levaram à divulgação de informações sigilosas com fins lucrativos. De acordo com a Kaspersky Lab e a B2B International, responsáveis pelo levantamento, o índice reflete o aumento do número de ameaças financeiras.

Entre as táticas utilizadas por cibercriminosos, estão falsos e-mails de banco (22%), sites de lojas virtuais falsos (15%) e páginas para roubar informações financeiras das vítimas (11%).

No Brasil, 95% dos programas maliciosos visam o roubo do acesso a plataformas bancárias e números de cartões de crédito. "Por este motivo, é essencial a prevenção para realizar transações financeiras online ou interagir com comunicados enviados pelos bancos”, afirma Fabio Assolini, analista sênior da Kaspersky Lab no País.

O estudo também mostrou que, em ataques bem-sucedidos, as vítimas tiveram prejuízos estimados em US$ 283 em média (aproximadamente R$ 1.035) e, 22% delas, perdeu mais de US$ 1.000 (ou R$ 3.530). Apenas 54% dos usuários conseguiu recuperar todo o valor perdido no golpe virtual.

De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), os prejuízos causados por golpes na internet somaram R$ 1,8 bilhão em 2015.