Tamanho do texto

O armazenamento em nuvem, a "cloud computing" é uma alternativa mais econômica, sustentável, versátil e segura aos tradicionais servidores físicos

Brasil Econômico

Conheça as vantagens de abolir os tradicionais e custosos servidores físicos e adotar a computação em nuvem
Reprodução de Internet
Conheça as vantagens de abolir os tradicionais e custosos servidores físicos e adotar a computação em nuvem

A chamada computação em nuvem (derivada do termo em inglês "cloud computing") é a tecnologia que utiliza-se da memória e da capacidade de armazenamento de computadores e servidores de maneira compartilhada e interligada via internet. 

LEIA MAIS:  Velocidade da internet: teste a sua conexão e veja cinco dicas para melhorá-la

O armazenamento de dados nesse modelo é feito seguindo o princípio da computação em grade, segundo o qual serviços podem ser acessados de qualquer terminal com sinal de internet em qualquer lugar do mundo, a qualquer hora, não necessitanto de instalação de programas ou ainda qualquer tipo de download. A alusão à " nuvem " explica-se por esse motivo: o acesso é remoto, sem o uso de unidades físicas.

A computação na nuvem é um dos conceitos mais discutidos e usados em negócios que se valem da internet para otimizar a transferência de dados ou que são do ramo de tecnologia. Hoje é raro uma empresa que não utiliza serviços como Google Drive, iCloud ou Dropbox. Essas ferramentas aprimoram o compartilhamento das informações e minimizam os ruídos de comunicação entre equipes — seja em um mesmo escritório ou no diálogo entre escritórios em diferentes países.

LEIA MAIS:  Unclouded é ferramenta para gerenciar os arquivos armazenados na nuvem

LEIA MAIS:  Como recuperar os arquivos que você apagou sem querer do computador

4 motivos para migrar para a nuvem

Mais segurança

Apesar de não ser perfeita, a "cloud computing" pode ser considerada uma via bastante segura no que diz respeito ao armazenamento de dados. Além de os provedores de serviços de computação em nuvem estarem sempre se atualizando em tecnologias de segurança de dados, o princípio básico de não haver unidades físicas protege a informações contra roubos ou furtos de equipamentos. A nuvem ainda garante, em muitos casos, a recuperação de dados caso ocorra algum problema de ordem técnica ou fatores externos como quedas de energia.

Mudanças não serão um problema na nuvem

Se a empresa tem a infraestrutura tecnológica em servidores físicos, é possível que planos de crescimento sejam atrapalhados por prazos de upgrade de servidores ou mesmo migrações de infraestrutura. Na nuvem, não há com o que se preocupar no que diz respeito ao negócio e suas mudanças, mesmo que rápidas. Não importa o tamanho e o ritmo da empresa, já que nesse modelo a qualquer momento será possível fazer "upgrades" ou "downgrades".

É mais econômico

Os setores de Tecnologia da Informação (TI) das empresas, sejam internas ou terceirizadas, são sempre cobradas por mais rapidez, praticidade e, ainda, reduções de custo. Nesse ponto, a nuvem pode trazer boas soluções em três variantes: infraestrutura, mão-de-obra e gastos energéticos.

Servidores robustos são sinônimo de muito gasto energético, o que resulta em algos custos mensais; armazenamento em nuvem é alternativa mais econômica
Divulgação
Servidores robustos são sinônimo de muito gasto energético, o que resulta em algos custos mensais; armazenamento em nuvem é alternativa mais econômica

Na parte de infra, não será necessário gastar muito com a aquisição de hardware, nem mesmo com a montagem de um bom servidor físico ou com licenças de programas. Como já foi dito nesse artigo, o serviço oferece armazenamento de dadose outros serviços de maneira 100% online.

As velhas perdas de tempo com manutenção, atualizações e configurações são coisas do passado para quem usa a nuvem. Isso significa mais eficiência, foco e resultados da equipe de trabalho. Como tudo é feito de maneira remota, questões pontuais que venham a ocorrer podem ser resolvidas de qualquer lugar.

Você sabe quanto se gasta de energia em um grande servidor? Isso varia de local para local, uns mais caros e outros mais baratos, dependendo do custo da energia elétrica. No entanto, uma pesquisa feita pela Universidade Northwestern em conjunto com o Laboratório Nacional Lawrence Berkeley apontou que o gasto energético seria reduzido em 87% caso todas empresas norte-americanas abolissem os servidores físicos e migrassem para a nuvem.

É mais sustentável

Um computador gera algo próximo a uma tonelada de CO² (dióxido de carbono) por ano. Além do gás, outros componentes tóxicos fazem parte dos componentes de um servidor, transformando o descarte em um problema sério, que vai contra o pensamento sustentável cada vez mais frequente na agenda mundial de prioridades. 

As principais plataformas de cloud computing

Dropbox

O Dropbox é um serviço para armazenamento e compartilhamento de arquivos. A Dropbox Inc., sediada em San Francisco, na Califórnia, é a  desenvolvedora do programa que disponibiliza centrais de computadores que armazenam os arquivos dos clientes.

Funciona da seguinte maneira: quando os arquivos são copiados para os servidores do Dropbox, eles passam de maneira automárica a ficarem acessíveis a partir de qualquer computador ou dispositivo que tenha acesso à internet. A ideia é colocar disponíveis arquivos sincronizados entre computadores em quaisquer lugares do mundo que tenham a aplicação instalada.

O alcance do Dropbox gira em torno de 25 milhões de pessoas no mundo todo. A versão gratuita oferece 2 GB de espaço na nuvem para sincronizar e compartilhar arquivos com outros usuários. O valor de mercado da Dropbox Inc, em 2014, foi avaliado em cerca de US$ 20 bilhões.

Google Drive

É o serviço de armazenamento e sincronização de arquivos entre usuários que tem conta no Gmail, o e-mail do Google. Lançado em 2012, o Drive (como é chamado no dia a dia) abriga o Google Docs, integrando layouts de planilhas, documentos e apresentações que podem ser compartilhados e editados por diversas pessoas ao mesmo tempo. 

Todas as alterações são salvas automaticamente, minimizando problemas de perda de conteúdo por fatores externos. O espaço de armazenamento demandado pelo Google Drive fez com que o Gmail (serviço totalmente gratuito) aumentasse a sua capacidade para 15 GB.

iCloud

O iCloud é o sistema de armazenamento em nuvem desenvolvido pela Apple. Lançado em 2011, a plataforma de computação em nuvem dá aos usuários a possibilidade de compartilhar e-mails, contatos, documentos entre os dispositivos iOS. Com o iCloud configurado é gerada uma conta de e‑mail e com espaço de 5 GB (gratuito).

Há também a possibilidade de sincronizar, através da tecnologia em nuvem, dispositivos com Windows instalado  para atualizar o conteúdo dos demais aparelhos Apple do usuário.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.