Tamanho do texto

Plataforma não explicou motivo do desligamento nos próximos meses, mas esclareceu que vídeos não serão excluídos sem notificação para os usuários

A plataforma de vídeos curtos Vine será descontinuada em breve. Em comunicado, a rede social não justificou o desligamento, mas informou que, por enquanto, nenhum vídeo será excluído e os usuários poderão acessar e baixar o conteúdo publicado em suas contas. No texto, a empresa esclarece que enviará notificações antes de qualquer mudança definitiva no aplicativo ou no site.

+ Conheça a rede social que é considerada o Tinder das pessoas feias

O Vine não divulgou a data para o fim do serviço, mas afirmou que os aplicativos para Android, iOS e Windows Phone sairão do ar nos próximos meses. A plataforma esclareceu que a versão da rede social para navegadores continuará disponível por tempo indeterminado mesmo após o fim dos apps. "Manteremos o site online pois achamos importante que ainda seja possível assistir todos os incríveis Vines que vocês fizeram", disse o Vine em um comunicado assinado em conjunto com o Twitter, proprietário da rede social.

Em junho, Vine anunciou possibilidade de vídeos mais longos para competir com redes sociais como Snapchat e Instagram
Divulgação
Em junho, Vine anunciou possibilidade de vídeos mais longos para competir com redes sociais como Snapchat e Instagram

Lançado em 2013, a plataforma permite cadastrar vídeos de até 140 segundos para serem exibidos em looping. O serviço possui publicações das mais diversas categorias, como comédia, música e esporte. A possibilidade de enviar vídeos mais longos, no entanto, foi anunciada somente em junho deste ano.

+ Veja idiomas que você nem imaginava que existiam no Facebook

Antes disso, a rede social tinha um limite de seis segundos para os vídeos. O anúncio da mudança foi feito em conjunto com alterações no Twitter em um esforço para aumentar a popularidade dos dois serviços frente a plataformas mais populares, como o Instagram e o Snapchat. A plataforma também ganhou integração com o Twitter para os usuários verem os vídeos diretamente no feed da rede social de 140 caracteres.

Crise no Twitter

O balanço para o terceiro semestre superou as expectativas do Twitter, mas a empresa deve manter o planejamento de demitir 9% de sua força de trabalho global . Ainda que a receita tenha subido 8% e atingido US$ 616 milhões no período, a rede social continua sendo uma companhia deficitária, registrando prejuízo líquido de US$ 103 milhões.

O cortes devem afetar mais de 300 funcionários das equipes de vendas, marketing e parcerias. Até o final de junho, o Twitter contava com 3.860 funcionários em todo o mundo. No comunicado, a empresa não deu detalhes sobre o futuro dos funcionários do Vine.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.