Tamanho do texto

Empresa avalia que versões desatualizadas do Linux, senhas padrão e ausência de criptografia mantém esses dispositivos expostos aos ataques

Brasil Econômico

Não interessa se utiliza apenas Microsoft, MacOS, Android ou outros tipos de sistemas operacionais (SO), se conectar com um deles, já abre margem para que o usuário esteja vulnerável a uma infinidade de ataques digitais, e sofra com o malware, mais popularmente conhecido como Cavalo de Tróia – invasão realizada com o intuito de causar algum dano ou roubo de informações.

Leia também: Veja quais procedimentos legais adotar em casos de crimes cibernéticos

Relatório de malware revela quais as tendências de ameaças digitais em 2017
iStock
Relatório de malware revela quais as tendências de ameaças digitais em 2017

Baseando-se em registros sobre quais ataques ganharam representatividade em 2016, a empresa de segurança digital, SophosLab, elaborou um relatório de malware com análise das quatro tendências que vão continuar apresentando desafios em 2017 nos meios digitais.

Internet das coisas (Iot)

Com os constantes registros de crescimento do sistema operacional Linux nos últimos anos, engenharias de malware veem sendo criadas para infectar esses dispositivos, que inclui webcans e aparelhos domésticos conectados à internet. De acordo com a SophosLab, versões desatualizadas do Linux, senhas padrão e a ausência do sistema de criptografia manterão esses dispositivos expostos à ataques.

Leia também: Android é o principal meio de acesso à internet e passa Windows, diz StatCounter

Android

Você já ouviu falar em Andr/PornClk? Segundo a SophosLab, mais de 20% dos casos em que o Android foi alvo de ataques em 2016 eram desta família. Além de rentável, por apresentar propagandas e registros, ele faz o download automático de Pacotes de Aplicativos do Android (APKs), abre atalhos em telas iniciais e coleta informações do dispositivo como o ID, número do telefone, entre outros.

MacOS

De acordo com as análises, o MacOS é projetado para executar um código de roubo de senha. Embora esse sistema operacional tenha menor taxa de infecções do que o Windows – até porque é numericamente bem inferior – a tendência é que haja continuidade nos ataques nesse SO.

Microsoft Word

Malware Microsoft Word Intruder tem como alvo o Word. E de acordo com o relatório elaborado pela SophosLab, o ataque está se expandindo para outras plataformas, como o reprodutor de multimídia Adobe Flash Player.

Leia também: Aumente sua capacidade cognitiva e memória: conheça o novo projeto de Elon Musk

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.