Tamanho do texto

TOTVS aponta também que a novidade é capaz de extrair informações de qualidade e relevância, mesmo com a quantidade massiva de dados; veja

Brasil Econômico

Na última terça-feira (13) a TOTVS, empresa de software e tecnologia, lançou Carol –  uma plataforma de dados e inteligência artificial (IA). A novidade irá potencializar a administração organizacional de dados, em um cenário onde cada vez há mais informações a serem analisadas, otimizando assim, as tomadas de decisões empresariais.

Leia também: Especialista avalia se evolução tecnológica está ameaçando os postos de trabalho

A inteligência artificial também é capaz de apresentar ao usuário quais são os alunos que têm mais risco de abandonar os estudos e por quais motivos
Divulgação
A inteligência artificial também é capaz de apresentar ao usuário quais são os alunos que têm mais risco de abandonar os estudos e por quais motivos

De acordo com a empresa, a tecnologia também é capaz de responder perguntas e oferecer insights de negócios com base em seu banco de dados, de forma qualitativa. A capacidade da inteligência artificia l de Carol vem da necessidade de, atualmente, ser um risco muito grande tomar decisões baseadas apenas em intuições ou em resultados do último mês.

A TOTVS aponta também que a novidade é capaz de extrair informações de qualidade e relevância para a empresa, mesmo com a quantidade massiva de dados coletados.

Aplicações

Com o principal objetivo de ajudar empresas, uma das aplicações desenvolvidas com a Carol foi com a empresa do mesmo grupo de dispositivos inteligentes e Internet das Coisas ( IoT ), Bematech, nessa experiência a IA passou a receber dados de diversas vendas realizadas pelos clientes por meio de componentes IoT, com muita rapidez, segurança e privacidade.

Assim que  Carol recebeu as informações, a própria tecnologia foi capaz de “peneirar” os dados considerados relevantes. A capacidade da IA em fazer essa seleção pode ser exemplificada da seguinte forma: somente o produto Coca-Cola foi registrado de 986 formas diferentes pelos estabelecimentos analisados. E utilizando técnicas de Deep Learning , algoritmos genéticos e redes neurais, a tecnologia consegue captar que todos são refrigerantes produzidos pela mesma empresa, mas com diferentes sabores e tamanhos.

Após fazer a seleção de dados, o engine de Machine Learning é posto em prática e leva insights de negócios para esses comércios. Os empresários passam a então compreender como está o seu desempenho perante a concorrência, qual a previsão de vendas – baseando-se em eventos externos, como clima e feriado – e até mesmo planejar uma expansão.

Leia também: Inteligência artificial detecta marcas mais compartilhadas nas redes sociais

Constante evolução

O investimento na novidade pode trazer bons retornos operacionais para dentro da empresa, uma vez que conforme Carol recebe novos dados, mais ela aprende sobre aqueles setores. As APIs – conjunto de rotinas e padrões de programação para acesso a uma plataforma baseado na web - abertas também permitem que a IA tenha capacidade infinita de aprendizagem, o que permite que qualquer pessoa ou empresa ensine novas habilidades e crie modelos em cima da Carol.

A capacidade de aprimoramento constante também permitiu que a tecnologia sugerisse por quanto vender determinada mercadoria, uma vez que o sistema tecnológico é capaz de analisar o mercado-alvo, concorrência, custos, sazonalidade, entre outros fatores. “Com a Carol, ao criar um novo produto no Bemacash, o cliente vai receber uma notificação dentro do próprio software com sugestão de preço, de forma instantânea”, disse a nota da empresa.

O diretor executivo do TOTVS Labs, Vicente Goetten, aponta que aos poucos todas as soluções da empresa incluirão ciência de dados e IA. Mas, que, no entanto, a companhia precisará de pessoas para garantir que os modelos sejam frequentemente melhorados e que a máquina aprenda constantemente. Portanto, o futuro é a combinação entre soluções e plataformas simples e modernizadas em conjunto com IA e pessoas”.

Na educação

A Carol também impactará no setor educacional, onde a evasão pode superar 50% em alguns cursos do Ensino Superior. Basta que pergunte à IA, por meio de um aplicativo com reconhecimento de voz ou texto, quantos alunos correm o risco de abandonar os estudos e qual seria o impacto financeiro dessa evasão.

A inteligência artificial é capaz de apresentar ao usuário quais são os alunos que têm mais risco de abandonar os estudos e por quais motivos. Assim, o machine learning recomenda quais medidas devem ser tomadas para evitar que esse estudante abandone a escola, curso ou faculdade.

Leia também: Facebook anuncia recurso para facilitar localização em situações de emergência

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.