Tamanho do texto

Segundo rede social, critérios como noticiabilidade e interesse público sobre um tuíte são levados em consideração antes de qualquer medida ser adotada

O Twitter precisou vir a público para explicar por que não tomou nenhuma medida após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, publicar uma ameaça à Coreia do Norte em sua conta . De acordo com a plataforma, o conteúdo não foi removido e o perfil não foi suspenso pois as informações são de interesse público, ainda que muitos usuários tenham entendido que o republicano violou as regras da rede social.

No último fim de semana, Trump fez duros comentários após o ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, afirmar que os EUA haviam realizado um ataque de míssil que "insultou a dignidade" de seu país. "Acabo de ouvir o ministro falar na ONU [Organização das Nações Unidas]. Se ele faz eco aos pensamentos do ‘Pequeno Homem Foguete’ [em alusão a Kim Jong-un], não permanecerão por muito mais tempo!", publicou em sua conta no Twitter.

De acordo com o Twitter, interesse público pode ser levado em conta ao remover um determinado conteúdo da plataforma
shutterstock
De acordo com o Twitter, interesse público pode ser levado em conta ao remover um determinado conteúdo da plataforma

Ameaças são proibidas pelas diretrizes da rede social . Isso inclui tuítes com "ameaças de violência ou promoção de violência, inclusive ameaçando ou promovendo o terrorismo". A plataforma, no entanto, afirmou que levou em conta a noticiabilidade para não remover a publicação. "Mantemos todas as contas com as mesmas regras e consideramos uam série de fatores ao avaliar se os tuítes violam nossas regras", disse a empresa em perfil destinado à sua política de privacidade.

"Entre as considerações, está a 'noticiabilidade' e o interesse público do tuíte. Há algum tempo, isto já é uma política interna e, em breve atualizaremos nossas regras públicas para refletir isso. Precisamos fazer melhor isso melhor, e faremos", afirmou a empresa.

Em contato com o site "Recode", a plataforma esclareceu que o comunicado da empresa não confirma que a publicação de Trump violou as regras, apenas que a noticiabilidade é um dos fatores considerados. A decisão é cercada de polêmicas, já que ao considerar este fator, é difícil imaginar uma situação em que Trump possa ser punido na rede social pelo fato de que, como presidente, tudo o que ele publica é noticiável.

"Trump me bloqueou"

Esta não é a primeira situação em que o perfil do líder norte-americano na rede social é motivo de discussões. Em junho, um site foi criado para reunir todos que foram bloqueados  por ele na plataforma. Batizado de TrumpBlocks.me, o site mostra os usuários que não conseguem acessar os tweets do presidente dos EUA.

Para os críticos, o comportamento de Trump no Twitter interfere nos direitos dos cidadãos norte-americanos de terem acesso às informações do governo. Até o fechamento desta matéria, 69 pessoas haviam sido bloqueadas pelo presidente dos EUA na rede social.

Confira a publicação de Trump no Twitter:


    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.