Tamanho do texto

Mesmo não sendo tão popular hoje em dia, a Nokia é a empresa que possui mais aparelhos nessa lista

Brasil Econômico

"O Thomas Edison da Finlândia". Assim era conhecido Eric Tingerstedt, engenheiro finlandês que registrou a primeira patente de "telefone dobrável de bolso com um mirofone de carbono muito fino" em 1917. A ideia não vingou, mas é o primeiro registro que se tem de um aparelho telefônico que dispensa fios. Sem essa invenção talvez essa lista de celulares mais vendidos da história não existiria. 

Veja também:  Como saber se a câmera do celular é boa?

O celular apareceria novamente em 1973 pelas mãos dos engenheiros John F. Mitchell e Martin Cooper, da Motorola. Entretanto, a primeira versão comercial de um telefone móvel só foi produzida em 1981, no Japão, pela até então estatal Nippon Telegraph and Telephone Corporation (NTT). De lá para cá, a tecnologia se tornou uma ferramenta essencial para qualquer pessoa, não se limitando a fazer ligações, mas também exercendo uma série de funções que antigamente só um computador conseguiria fazer. Dessa forma foi ganhando espaço e hoje é difícil encontrar alguém que não tenha pelo menos um aparelho. Alguns se tornaram mais populares e são os celulares mais vendidos da história. 

10. Nokia 1600

O Nokia 1600 vendeu cerca de 130 milhões de unidades.
Reprodução/ Nokia
O Nokia 1600 vendeu cerca de 130 milhões de unidades.

O Nokia 1600 foi a aposta da empresa em 2005 para o público dos países desenvolvidos. Com uma memória de 4MB - equivalente a duas fotos hoje em dia -, que podia suportar até 200 contatos. Um dos principais atrativos era o design baseado na durabilidade e resistência. A novidade era o ˜relógio falante", que permitia ao usuário ouvir as horas apenas clicando no botão asterisco.

A bateria de 900mAh garantia uma autonomia de 450 horas (o equivalente a 19 dias) quando com em standby, ou 6 horas em ligação. O telefone contava com uma antena interna, localizada na parte superior traseira do dispositivo e não era recomendável encostar na região durante uma ligação. O display suportava 65 mil cores (um Iphone 7 atualmente suporta cerca de 16 milhões). Possuia jogos clássicos como o Snake, Dice, Criket Cup e uma calculadora simples.

O Nokia 1600 custava 50 euros (aproximadamente 200 reais) e teve cerca de 130 milhões de unidades vendidas. 


 9. RAZR V3

O Razr V3 entrou na lista de celulares mais vendidos da história após conseguir a impressionante marca de 130 milhões de unidades vendidas.
Reprodução/ GSMArena
O Razr V3 entrou na lista de celulares mais vendidos da história após conseguir a impressionante marca de 130 milhões de unidades vendidas.

Desenvolvido no final de 2003, o Motorola Razr V3 só chegou às lojas no terceiro semestre de 2004. Feito de alumínio, o celular impressionou pela aparência. Extremamente fino, contava com uma tela externa para que o usuário pudesse consultar sua notificações quando o telefone estivesse "fechado". Um teclado luminescente e uma entrada para cabos USB também eram novidade.

A câmera de 0,3 megapixels (os celulares de última geração suportam até 12 megapixels) podia tirar fotos mesmo com o aparelho fechado. Havia suporte para bluetooth, viva voz, vídeos em MP4, email, SMS e outros serviços. Com 256 mil cores, o armazenamento do dispositivo era de 30MB (sendo que só 5,49MB eram acessíveis para o usuário) e sua bateria de lítio tinha autonomia de 280 horas (o equivalente a 12 dias) em standby ou 7 horas em ligação.

Devido ao seu design moderno, seu suporte para multimídia e internet, o Motorola RAZR V3 atraiu apenas um público com maior poder aquisitivo - o preço, de cerca de R$ 600,00, também contribuiu. Com o lançamento de outras versões, como o V3i em 2005, o preço do Motorola Razr V3 sofreu uma queda e as vendas aumentaram, conseguindo alcançar a incrível marca de 130 milhões de unidades vendidas.

8. Nokia 2600

Com 135 milhões de unidades vendidas, o Nokia 2600 foi um dos celulares mais vendidos da história.
Reprodução/ Nokia
Com 135 milhões de unidades vendidas, o Nokia 2600 foi um dos celulares mais vendidos da história.

O Nokia 2600 chegou no mercado no segundo trimestre de 2004. Seguindo a linha de telefones econômicos da empresa, ele tinha um design rústico e resistente mas que não se comparava em termos de beleza com os concorrentes. As funcionalidades também não tinham a eficiência das linhas de outras empresas. Um dos grandes defeitos dos modelos da Nokia era que eles tinham o enfoque destinado quase exclusivamente para ligações.

O modelo black comportava uma câmera VGA e bluetooth -  regalias não presentes no modelo clássico. A memória interna era de 4MB - sem suporte para extenção -, a tela LCD reproduzia até 65 mil cores e a bateria possuia autonomia de 210 horas em standby e 250 minutos quando em ligação.

Apesar dos defeitos, o dispositivo foi muito elogiado devido a qualidade das ligações. O telefone agradou o público mais ecônomico que desejava um celular barato e funcional, vendendo mais de 135 milhões de unidades.

Leia também:  Conheça 10 mitos e verdades sobre o desempenho da bateria do seu celular

7. Samsung E1100

Apesar de ultrapassado, o Samsung E1100 vendeu cerca de 150 milhões de unidades.
Reprodução/ Samsung
Apesar de ultrapassado, o Samsung E1100 vendeu cerca de 150 milhões de unidades.

O ano de 2009 foi marcado pela ascensão dos celulares com telas sensíveis ao toque (touchscreen), com modelos de peso como o Iphone 3GS. A Samsung, entretanto, resolveu fazer uma aposta ousada visando o público com baixo poder aquisitivo. Assim nasceu o Samsung E1100. Com o mesmo design rústico de modelos lançados 5 anos antes, o principal atrativo era o preço, 2799 rúpias indianas, o equivalente a cerca de 130 reais hoje em dia.

Além do preço, não existiam muitas funções atraentes. A memória era de 1MB e a tela LCD reproduzia cerca de 65 mil cores e não possuia câmera. Teve mais sucesso na Índia, onde tinha possuia o aplicativo "Oração Móvel˜, que contava com papéis de parede religiosos, orações e alarmes personalizados.  

Fora o preço, o E1100 seguia a mesma receita dos outros celulares da oitava geração: sem câmera, com 1MB de memória e uma tela de LCD que reproduzia cerca de 65 mil cores, o enfoque do dispositivo era basicamente a efetuação de ligações. Na versão indiana era incluído o aplicativo "Oração Móvel", que contava com papeis de parede religiosos, orações e alarmes personalizados.  

Apesar de ultrapassado, a receita básica pareceu funcionar e o dispositivo vendeu aproximadamente 150 milhões de unidades.


6. Nokia 5230

O Nokia 5230 foi vendido no Brasil por cerca de R$ 699
Reprodução/ Nokia
O Nokia 5230 foi vendido no Brasil por cerca de R$ 699

Para entrar na era dos smartphones, em novembro de 2009, a Nokia lançou o modelo 5230. O aparelho contava com uma tela touchscreen, suporte para cartão de memória, internet, bluetooth, rádio FM, GPS, 256MB de memória interna e uma tela LCD que reproduzia cerca de 16 milhões de cores. Entretanto, o aparelho não se conectava em redes WiFi, deixando a internet por conta da conexão 2G precária das operadoras.

A câmera era de 2 megapixels e gravava vídeos VGA (640 X 480 pixels, qualidade baixa) e a autonomia da bateria era de 458 horas com a tela desligada ou 4 horas em chamadas. O touchscreen do telefone era um atrativo, considerando que outras opções com a funcionalidade custavam muito mais caro na época. O celular foi disponibilizado no Brasil pelo preço de R$ 699,00 e atingiu uma marca de cerca de 150 milhões de unidades vendidas.

5. Nokia 6600

Apesar de ser um dos celulares mais vendidos da história, o Nokia 6600 foi vendido por um preço extremamente caro para a época.
Reprodução/ Nokia
Apesar de ser um dos celulares mais vendidos da história, o Nokia 6600 foi vendido por um preço extremamente caro para a época.

Lançado em Junho de 2003, o 6600 era, na época, o produto mais avançado já produzido pela Nokia. O dispositivo não possuia enfoque exclusivo em ligações e vinha com uma câmera de 0,3MP, bluetooth, 6MB de memória interna, reprodutor de vídeos e suporte para cartão de memória. Posteriormente a ideia foi recuperada para lançar 3 outros modelos (6600 Fold, 6600 slide e 6600i).

O celular vendeu cerca de 150 milhões de unidades por 600 euros (cerca de 2000 reais) - um valor bastante alto para a época.

4. Nokia 1200

O Nokia 1200 foi um dos últimos modelos de sucesso da empresa.
Reprodução/ Nokia
O Nokia 1200 foi um dos últimos modelos de sucesso da empresa.

Outra aposta econômica da Nokia veio em 2007 com o Nokia 1200. O grande diferencial foi o preço, de 30 euros (em torno de 120 reais). Fora isso, não havia nenhum diferencial de peso. Era um celular básico, com enfoque em ligações e com design rústico e resistente que se tornou a marca registrada da empresa.

O telefone vendeu cerca de 150 milhões de unidades, mostrando que esse modelo de celulares ainda estava dando certo. Entretanto, os anos de ouro dos telefones rústicos estava chegando ao fim. De 2008 em diante a Nokia encontrou dificuldades em se adaptar ao novo mercado de smartphones e sua linha de telemóveis foi vendida para a Microsoft.

3. Nokia 3210

O Nokia 3210 é considerado por muitos um dos melhores telefones de toda a história.
Reprodução/ IMEI
O Nokia 3210 é considerado por muitos um dos melhores telefones de toda a história.

Em 1999, no auge das vendas em massa de dispositivos móveis, a Nokia lançou o modelo 3210. O telefone foi a base para muitas das funcionalidades que viraram padrão posteriormente. Os jogos pré instalados no dispositivo eram uma forma de encorajar as vendas. Foi o primeiro celular a ter antena interna, permitia o envio de fotos por SMS e apresentava preço reduzido. Acabou sendo responsável por expandir os negócios de telemóveis até o público mais jovem e menos instruído.

As funcionalidades do aparelho se limitavam a realizar e receber chamadas, envio de SMS e alguns poucos aplicativos (jogos). Isso foi o suficiente para a venda de 160 milhões de exemplares e se consagração de ser um dos celulares mais vendidos da história.

2. iPhone 6 e iPhone 6 Plus

O Iphone 6 foi um marco para os smartphones de alta performance
Reprodução/ Apple
O Iphone 6 foi um marco para os smartphones de alta performance

Os smartphones da Apple já eram reconhecidos como sinônimo de qualidade, entretanto seu preço elevado os tornavam pouco acessíveis para a maior parte da população. O cenário estava para mudar. Com o uso em massa das redes sociais, o marketing do dispositivo foi muito bem feito. Em pouco tempo, o iPhone se tornou símbolo de status. 

O iPhone 6 chegou ao mercado com uma câmera de 8MP que gravava vídeos até em slow motion (câmera lenta), com suporte para reconhecimento de impressão digital, microfone com redução de ruídos e muito mais. O dispositivo conseguia reproduzir praticamente todas as funcionalidades de um computador com facilidade, seu processador de dois núcleos garantia que todas as funções do aparelho fossem desempenhadas sem travas. O sistema operacional iOS 8.0 oferecia suporte para todos os aplicativos do mercado. 

Já reconhecida pelo público, a Apple foi consagrada também em vendas. Em 24 horas o iPhone 6 já havia atingido a marca de 4 milhões de unidades vendidas. Com um preço que hoje chega a 2.000 reais, já foram comercializadas cerca de 220 milhões de unidades.

1. Nokia 1100

O famoso
Reprodução/ Nokia
O famoso "tijolão" é o celular mais vendido da história, com cerca de 250 milhões de unidades vendidas.

Carinhosamente apelidado de tijolão, o Nokia 1100 foi desenvolvido mirando o público dos países desenvolvidos que não necessitavam de funcionalidades mais avançadas que realizar ligações e receber SMS - funções base do 1100. Simples, o display apresentava apenas gráficos monocromáticos, ou seja, cores metálicas com predominância do preto. O celular  contava com poucos aplicativos - incluindo uma calculadora e jogos -, conseguia enviar fotos via SMS e armazenar até 50 contatos em sua memória. Ao pressionar a tecla C quando o teclado estava destravado o aparelho ligava uma lanterna. O teclado de silicone era a prova de areia, ficava pouco escorregadio quando úmido e contava com um facilitador de digitação.

A funcionalidade do aparelho rendeu 250 milhões de unidades vendidas e o garantiu a liderança na lista de celulares mais vendidos da história até hoje. 

Leia também:  Google apresenta Pixel 2 com o melhor sistema de câmera do mercado

A notável a predominância de aparelhos antigos na lista de celulares mais vendidos da história se explica pela competitividade do mercado de smartphones atual. Os consumidores têm uma vasta gama de opções para escolher, tornando difícil para uma empresa conseguir vender quantidades avassaladoras de um único produto. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.