Tamanho do texto

Apesar de ter confirmado exposição de dados do usuários, a empresa disse que não há casos conhecidos de hackers que se aproveitaram das falhas

Brasil Econômico

Apple se posicionou sobre falha em processadores dias depois de ser processada por redução de desempenho de aparelhos
shutterstock
Apple se posicionou sobre falha em processadores dias depois de ser processada por redução de desempenho de aparelhos

As últimas semanas realmente não têm sido lá muito boas para a Apple. Após ser  processada por consumidores que se sentiram lesados por conta da prática de redução de desempenho em aparelhos mais antigos, a companhia confirmou nesta quinta-feira (4) que quase todos os iPhones , iPads  e Macs  são afetados por "falhas de design" de chips da Intel , ARM e AMD. Com isso, dados de bilhões de usuários estariam disponíveis para acesso remoto.

Leia também: Seu computador tem processador Intel? Ele pode ter uma grave falha de segurança

Segundo o  Daily Mail , a Apple planeja lançar novas medidas de segurança para o navegador Safari. O objetivo é proteger os usuários de iOS da falha que ficou conhecida como "Spectre". Além disso, as últimas atualizações do iOS e do macOS já vieram com mecanismos que ajudam na defesa contra o "Meltdown", avaliada como a falha mais grave, anunciou a Apple.

Leia também: WhatsApp registra 75 bilhões de mensagens enviadas no Ano Novo

A empresa também divulgou uma nota para usuários de seus dispositivos. "Nós continuamos trabalhando no desenvolvimento e no teste de novas melhorias para essas questões e as lançaremos nas atualizações futuras dos iOS, macOS, tvOS e watchOS". Por enquanto, a Apple aconselha que os usuários baixem apenas softwares de fontes confiáveis, como a App Store.

Mais confirmações

Os fabricantes de navegadores Google, Microsoft Corp e a Mozilla Corporation confirmaram que os patches, responsáveis por fazer correções para resolver disfunções identificadas por programadores ou usuários comuns - não protegem os usuários de iOS.

Embora a história tenha chegado ao público na última quarta-feira (3) por um grupo de especialistas do Google, empresas de tecnologia estão cientes dos erros nos chips desde o ano passado. Intel e Google, no entanto, esperavam se posicionar sobre o problema somente na próxima semana, quando as correções estariam disponíveis.

Leia também: De IA a blockchain: confira as principais tendências da tecnologia para 2018

Com a divulgação da falha, a Intel foi obrigada a se pronunciar. Enquanto isso, apesar de ter confirmado a exposição às falhas, a Apple destacou que não há casos conhecidos de hackers se aproveitando delas, e que o Apple Watch não é afetado pelo problema.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.