Tamanho do texto

Em agosto, James Damore foi demitido por compartilhar com seus colegas um manifesto contra as políticas inclusivas da empresa, que, segundo ele, 'prejudicam homens, caucasianos e conservadores de crescer no Google'

Brasil Econômico

Embora Damore discorde das medidas do Google, o engenheiro não esconde a vontade de receber outra chance da empresa
shutterstock
Embora Damore discorde das medidas do Google, o engenheiro não esconde a vontade de receber outra chance da empresa

Após aproximadamente cinco meses de demissão, o engenheiro James Damore processou o Google na última segunda-feira (8). O motivo? Segundo a matéria publicada pelo BuzzFeed News , o ex-funcionário da companhia alega que a "empresa adota medidas que discriminam homens brancos e politicamente conservadores ".  

Leia também: Trabalhador que teve demissão divulgada em rede social receberá indenização

Na petição apresentada ao Tribunal Superior de Santa Clara, na Califórnia (EUA), David Gudeman, demitido em dezembro de 2016 do Google , alegou, em conjunto com Damore, que a empresa, “identifica, maltrata e pune sistematicamente encerrando contratos de funcionários que não concordam com a visão da empresa sobre a diversidade”. A dupla tem buscado mais ex-funcionários que se identifiquem como “conservadores, caucasianos ou masculinos” para entrar no coro da reclamação. 

A advogada dos reclamantes, Harmeet K. Dhillon, alega que a administração da empresa vai a "extremos ilegais", incentivando os gerentes a contratarem minorias de raça e gênero, por exemplo, como fator determinante de contratação. Assim, segundo a magistrada, concorrentes homens, caucasianos e brancos se tornam prejudicados. 

Como se todos os pontos levantados na ação não fossem polêmicos o suficiente, a reinvindicação da dupla ainda aponta que "a empresa apoia listas com nomes de pessoas que deveriam receber promoção ou mesmo emprego, mas que não conseguem essas realizações justamente porque têm ideias conservadoras".

Leia também: França abre investigação contra Apple por redução de velocidade em aparelhos

Para recapitular

Em agosto, Damore, de 28 anos, ficou conhecido por compartilhar com funcionários um manifesto contra as políticas inclusivas que a empresa vem empregando. Na carta, ele ‘explica’, por exemplo, que o fato de homens receberem salários maiores que as mulheres se deve à "diferença genética que, nesse caso, favorece o primeiro grupo", uma vez que “as mulheres se entendem melhor com pessoas, e os homens, com máquinas”.

Embora James Damore discorde intensamente das medidas do Google, o engenheiro não esconde a vontade de receber outra chance e voltar à empresa, proprietária de um dos maiores sites de busca do mundo, visto que "sente que poderia melhorar as coisas por lá".

E o que o Google diz sobre isso? Em comunicado, um porta-voz da empresa afirmou que a companhia está "ansiosa em defender o processo recebido do Sr. Damore".

Leia também: Seu computador tem processador Intel? Ele pode ter uma grave falha de segurança

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.