Tamanho do texto

Empresa também afirmou que a atualização de segurança após falhas em chips fez máquinas apresentarem redução de até 25% no processamento

Brasil Econômico

É estimado que todos os chips fabricados pela Intel desde 1995 sofram com o problema
Walden Kirsch/Intel Corporation
É estimado que todos os chips fabricados pela Intel desde 1995 sofram com o problema

O vice-presidente da Intel, Navin Shenoy, admitiu na quarta-feira (17) que a correção das brechas de segurança  em procesadores da empresa trouxe consequências negativas para os computadores. Testes denunciaram que as atualizações instaladas para estancar as vulnerabilidades Spectre e Meltdown fizeram com que os computadores reiniciassem com mais frequência do que o normal e apresentassem redução de até 25% no processamento .

Leia também: Golpe usa site falso da Netflix para roubar dados do seu cartão de crédito

Intel afirmou, ainda, ter detectado que a capacidade de memória, de fazer cálculos, entre outros itens foram impactados pelas atualizações. A companhia admitiu que houve queda de até 75% da potência de armazenamento de algumas máquinas. Segundo os cálculos, ao menos 90% dos computadores que usam os chips da empresa já receberam das atualizações para corrigir as falhas.

Leia também: Seu computador tem processador Intel? Ele pode ter uma grave falha de segurança

Entenda o caso

No início de 2018, um grupo de especialistas do Google anunciou a descoberta de graves falhas de segurança em processadores de computadores e dispositivos móveis. Segundo os integrantes da equipe Project Zero, o erro foi registrado por chips fabricados por empresas como Intel, ARM e AMD. A vulnerabilidade dos dispositivos poderia permitir que senhas e outros dados privados fossem acessados remotamente.

A falha foi revelada pelos pesquisadores logo após a Intel dizer que estava trabalhando para corrigir um erro e minimizar o problema. Segundo a empresa, os usuários não experimentarão quedas significativas no desempenho de seus computadores. "Não há possibilidade de corromper, modificar ou eliminar dados", disse por meio de nota.

Leia também: Instagram pretende denunciar 'prints' feitos em fotos e vídeos do Stories

É estimado que todos os chips fabricados pela empresa desde 1995 sofram com o problema. A situação é ainda mais grave pelo fato de a Intel ser a principal fornecedora de chips para  computadores, o que faz a brecha ter um alcance praticamente global. Após a descoberta, as ações da Intel na bolsa de valores apresentaram queda de 3,4%, e passaram a valer US$ 45,26.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.