Tamanho do texto

Objetivo é apresentar um ponto de vista alternativo aos usuários em vídeos que questionam a ciência ou eventos como a chegada do homem à Lua

Vídeos controversos continuarão no YouTube, mas usuários poderão acessar outra fonte relacionada ao tema em questão
Divulgação
Vídeos controversos continuarão no YouTube, mas usuários poderão acessar outra fonte relacionada ao tema em questão

Já se deparou com algum vídeo fraudulento ou com teorias da conspiração no YouTube? A rede social finalmente decidiu criar formas de reduzir o apelo que eles têm entre os usuários. Para isso, o site passará a exibir textos da Wikipédia ao lado desses vídeos. O anúncio foi feito nesta terça-feira (14) pela CEO da plataforma, Susan Wojcicki.

Leia também: Mudança no Google Maps poderá fazer Pokémon GO virar coisa do passado

De acordo com a agência de notícias  Reuters , a executiva afirmou que o objetivo do YouTube é apresentar um ponto de vista alternativo para vídeos que questionam a ciência ou descrevem conspirações em eventos como a chegada do homem à Lua, por exemplo. A declaração foi dada durante a conferência SXSW (South by Southwest), realizada nos Estados Unidos.

Leia também: YouTube lança "tema escuro" para usuários de iOS

As sugestões deverão aparecer principalmente em tópicos com um números considerável de vídeos na rede social. "As pessoas ainda podem assistir aos vídoes, mas então elas têm acesso a informações adicionais", disse Wojcicki.

Como lembra o site  Wired , a escolha pela Wikipédia mostra a preocupação da plataforma em evitar críticas de que estaria privilegiando certos criadores de conteúdo ou agindo como um árbitro que define o que é ou não verdade. A Wikipédia, portanto, seria uma maneira neutra de oferecer mais informações aos usuários, ainda que tire o prestígio do vídeo como uma mídia confiável.

Há algumas semanas, a plataforma passou a usar a Wikipédia para uma finalidade semelhante, ao exibir alertas em vídeos que recebem financiamento total ou parcial do governo ou de empresas públicas. Com o objetivo de trazer transparência para a comunidade de criadores de conteúdo, anunciantes e espectadores, a mudança também inclui um link para a página na Wikipédia dos responsáveis pelo vídeo.

Leia também: Loja lança versão de luxo do iPhone X com ouro de 24K pelo preço de R$ 15 mil

Vale lembrar que o YouTube tem sido pressionado por autoridades e grupos que querem ajuda para impedir de alguma forma a propagação de notícias falsas. Em 2017, casos de vídeos extremistas ou que apresentavam conteúdos inadequados para crianças fizeram a rede social perder receita com anúncios, forçando-a a realizar alterações em seus algoritmos.

    Leia tudo sobre: YouTube
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.