Tamanho do texto

Uma pessoa que não quer tirar o celular do bolso para ver as horas, pode simplesmente pensar “horas” que o aparelho dará a informação em instantes

Brasil Econômico

Não há garantias de que o dispositivo AlterEgo chegará ao mercado, disse o MIT
Lorrie Lejeune/MIT
Não há garantias de que o dispositivo AlterEgo chegará ao mercado, disse o MIT

Que tal ter os seus pensamentos lidos por um dispositivo? A ideia, que parece futurista, já não é quase realidade. Isso porque o Instituto de Tecnologia de Massachusetts ( MIT ) acaba de desenvolver o AlterEgo , um dispositivo headset capaz de “ouvir” as palavras que você diz na sua cabeça. O conceito pode parecer ameaçador para quem tem uma visão apocalíptica sobre a evolução das máquinas, mas, calma. Não tire conclusões preciptadas.

Leia também: Uber compra startup de bicicletas elétricas e mostra intenção de entrar no setor

Segundo o MIT News , o dispositivo é um aparelho usado no rosto que vai da orelha até o canto interior da boca capaz de medir sinais neuromusculares que são acionados quando o usuário subvocaliza.

Assim, o sistema desenvolvido é capaz de captar sinais verbalizados internamente e os fones de ouvido “respondem” a pergunta. Por exemplo, uma pessoa que não quer tirar o celular do bolso para ver as horas, pode simplesmente pensar “horas” que o aparelho dará a informação somente para o usuário conectado.

Leia também: Combate ao HIV: Apple anuncia edição especial do iPhone 8 e iPhone 8 Plus




Insight

É justamente essa a ideia do Arnav Kapus, estudante de pós-graduação do MIT envolvido no projeto. “No momento, o uso desses dispositivos [smartphones, por exemplo] é muito pertubador, uma vez que se quiser pesquisar algo que seja relevante para uma conversa que estou tendo, preciso encontrar meu celular, digitar a senha, abrir um aplicativo e digitar alguma palavra-chave de pesquisa, tirando toda a minha atenção do ambiente que estou”.

Por isso, o estudante defende a ideia no MIT News de desenvolver um sistema capaz de manter as pessoas presente tanto fisicamente quanto mentalmente nas rodas de conversa.

Leia também: Relógios inteligentes ganham função de GPS; saiba porque ter um

Além disso, Kapus também relembra que a ideia sempre foi fazer uma plataforma de computação mais interna capaz de ‘mesclar’ o ser humano à máquina, e que, portanto o AlterEgo ainda deve ter seu tamanho reduzido. O pesquisador também destaca que não há garantias de que o dispositivo chegará para o mercado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.