Tamanho do texto

Segundo fontes que não quiseram se identificadas, a ideia da companhia é integrar o app de revista Texture - recém comprado pela empresa - com o Apple News e lançar no ano que vem, uma versão atualizada da plataforma

Brasil Econômico

Fontes disseram que após a compra da Texture, a Apple demitiu pelo menos 20 funcionários da startup
shutterstock
Fontes disseram que após a compra da Texture, a Apple demitiu pelo menos 20 funcionários da startup

Apple planeja oferecer aos seus usuários um aplicativo de notícias de assinatura premium em 2019. A novidade, ainda não confirmada oficialmente pela empresa, está sendo anunciada pelo portal internacional Bloomberg um mês após a companhia comprar a startup Texture, até então dedicada a oferecer mais de 200 títulos de revistas aos seus usuários por US$ 9,99.

Leia também: Capinha de celular quase invisível protege celular e se 'regenera' sozinha

A ideia da companhia é integrar o aplicativo de revista com o Apple News e lançar no ano que vem uma versão atualizada da plataforma. Ainda de acordo com o portal internacional, uma parte da receita das assinaturas deve ser destinada às editoras participantes do app.

As fontes que não quiseram ser identificadas também disseram que após a compra da Texture, a empresa de tecnologia demitiu pelo menos 20 funcionários da startup.

Mais receita

Em 2014, a companhia comprou a Beats Music, que na época contava com pouco menos de um milhão de assinantes por US$ 3 bilhões para compor o serviço da Apple Music, atualmente com mais de 40 milhões de usuários pagantes.

Leia também: Loja lança versão de luxo do iPhoneX com ouro de 24K pelo preço de R$ 15 mil

Além disso, hoje, a empresa também obtém receita de outros serviços como o Apple Pay de pagamento, App Store e o iTunes.

E por falar em Apple Pay...

A empresa lançou no começo deste mês o serviço de pagamento no Brasil . Com o recurso, os donos de iPad, iPhone, Apple Watch e Mac podem fazer pagamentos em estabelecimentos físicos e digitais sem precisar sacar o cartão da carteira para passar no crédito ou digitar aqueles números para concluir a compra, basta encostar o dispositivo na maquininha.

De acordo com a Apple , a modalidade de pagamento é a maneira mais segura de efetuar as transações, uma vez que com o Apple Pay é criado um número específico para seu aparelho e um código de transação único. Sendo assim, os dados do cartão do usuário não são armazenados no dispositivo ou nos servidores da Apple, nem são compartilhados com as lojas. Vale destacar que até o momento, o serviço, no Brasil, está apenas funcionando para os clientes do Banco Itaú que tiverem cartão de crédito.

Leia também: Facebook envia mensagem às vítimas de vazamento de dados nesta segunda-feira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.