Tamanho do texto

Veículo autônomo da Waymo, empresa que pertence ao Google, foi atingido por outro carro e deixou condutor ferido. Empresa nega responsabilidade

Brasil Econômico

Carro autônomo da Waymo, empresa do Google, se envolve em acidente e deixa um ferido
Reprodução/ABC
Carro autônomo da Waymo, empresa do Google, se envolve em acidente e deixa um ferido

Um acidente de carro ocorrido em Chandler, no estado de Arizona, há dois dias, voltou a causar polêmica nos Estados Unidos. Tudo porque um dos veículos envolvidos na colisão era um carro autônomo pertencente à Waymo, uma empresa cujo Google é dono.

Leia também: Amazon vai fazer entregas direto no porta-malas de carros estacionados

Segundo as autoridades locais, a Chrysler Pacifica da Waymo estava rodando de modo autônomo em fase de testes com um operador no banco do motorista quando um sedã Honda tentou desviar de um terceiro veículo e acabou invadindo a pista contrária onde estava a van autônoma da Waymo. A colisão na parte dianteira esquerda foi bem próxima do banco do motorista e acabou ferindo o condutor.

O carro da Waymo não é o veículo infrator. Ele apenas estava no lugar errado, na hora errada", disse o investigador da polícia ao jornal local Phoenix New Times.

No dia seguinte, porém, a polícia de Chandler divulgou uma nova versão dos fatos que indica que o Honda entrou no cruzamento durante o sinal vermelho.

O algoritmo do carro do Google, por sua vez, não foi capaz de prever a colisão e evitar o acidente e as autoridades locais concluíram que o veículo autônomo não teve culpa.

A Waymo, por sua vez, divulgou um comunicado no qual afirma que "hoje, enquanto testávamos nosso veículo autônomo em Chandler, Arizona, outro carro viajando em uma pista que se aproximava desviou pelo canteiro central e atingiu nossa minivan".

Leia também: Uber adotará medida de segurança que "esconde" locais de embarque e desembarque

A empresa ainda conclui dizendo que "a missão da nossa equipe é tornar nossas estradas mais seguras – ela está no centro de tudo o que fazemos e motiva todos os membros de nossa equipe. Estamos preocupados com o bem-estar e a segurança de nosso piloto de testes e desejamos a ela uma recuperação completa .”

No vídeo abaixo é possível ver o momento em que a colisão acontece, gravada pela câmera no topo do carro do Google:

As imagens de helicóptero captadas pela rede ABC , do Arizona, momento depois do acidente também dão uma noção do impacto, e dos estragos, causados pela colisão:



Acidentes com carros autônomos

A Waymo é a divisão de mobilidade autônoma do Google, da Alphabet. Ela concorre na "corrida do carro autônomo" com outras empresas, como a Uber e a General Motors. E é justamente a concorrência que vem levantando a hipótese de que essa corrida tem acelerado demais as coisas e colocado a vida das pessoas em risco.

Em novembro do ano passado, a Waymo comunicou que iria dispensar o uso de motoristas nos testes realizados no Arizona. Na ocasião, eram 600 unidades da van Pacífica que já rodavam em 25 cidades do estado. De lá pra cá, a empresa já divulgou que comprou mais unidades incluindo algumas do Jaguar I-Pace, o lançamento mais recente da marca britânica, que é totalmente elétrico.

No entanto, em menos de dois meses, esse é o segundo acidente envolvendo testes com um carro autônomo nos Estados Unidos. No mês passado, um Volvo XC90 da Uber atropelou e matou uma mulher na cidade de Tempe, também no estado de Arizona, enquanto o condutor do veículo, no banco do motorista, nada conseguiu fazer para impedir.

Leia também: Carro autônomo da Uber "viu" vítima que atropelou e matou, mas decidiu não parar

O site The Information , no entanto, teve acesso às investigações e revelou nesta segunda-feira (7) que o  carro autônomo da Uber detectou a vítima antes de atropelá-la, mas decidiu não parar e não reagiu imediatamente para evitar o acidente. Antes, a investigação já tinha revelado que o veículo estava acima da velocidade máxima permitida na via.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.