Tamanho do texto

Com falsa acusação de que passageiro causou danos no interior do veículo, motoristas estão cobrando taxa de limpeza que varia entre US$ 80 e US$ 150

O
Reprodução
O "golpe do vômito" se aproveita do recurso disponível no app que cobra uma taxa de limpeza extra dos clientes que causarem danos aos carros da plataforma

Um novo golpe está sendo aplicado por motoristas de Uber em passageiros nos Estados Unidos e fazendo-os lucrar até US$ 150, cerca de R$ 580, por corrida. Trata-se do "golpe do vômito": uma alegação por parte dos condutores de que os passageiros sujaram o veículo e causaram falsos prejuízos aos motoristas que cobram, através do aplicativo, uma taxa extra dos clientes.

Leia também: Motorista da Uber agora receberá de acordo com o tempo e a distância da corrida

O " golpe do vômito ", segundo descobriu o jornal de Miami El Nuevo Herald , se aproveita do recurso disponível no aplicativo que cobra uma taxa de limpeza extra dos clientes que causarem danos aos veículos. Nos Estados Unidos, essa taxa pode variar de US$ 80 (R$ 310) - se um passageiro vomitar ou derrubar uma bebida no tecido das cadeiras, por exemplo - a US$ 150 - em casos de "quantidades significativas de fluidos corporais" (urina, sangue ou vômito).

Segundo o Uber , o valor pago seria uma compensação pelo tempo e o dinheiro que os motoristas da plataforma gastam para limpar seus carros. Quando questionado pelo jornal, a empresa disse estar "investigando ativamente os relatórios em que a fraude pode ser detectada" e que intervirá de acordo com cada caso.

O Uber afirmou, ainda, que não tem números específicos sobre os casos de golpe, mas "a grande maioria dos relatórios por taxas de limpeza são o resultado de alguém que realmente fez bagunça no veículo". Quando as fraudes realmente acontecem, disse a empresa, as providências necessárias são tomadas.

“Com 15 milhões de viagens por dia, o Uber infelizmente não está imune a esses tipos de incidentes”, completou.

Além do golpe do vômito

Assim como no golpe do vômito, a estratégia dos criminosos surpreendia, já que eles escolheram utilizar o e-mail em vez do WhatsApp, muito mais comum, para aplicar a fraude
Shutterstock
Assim como no golpe do vômito, a estratégia dos criminosos surpreendia, já que eles escolheram utilizar o e-mail em vez do WhatsApp, muito mais comum, para aplicar a fraude

No Brasil, outro golpe no Uber (e não do Uber) foi identificado recentemente, desta vez pela empresa de segurança digital Norton. Na ocasião, os usuários recebiam um email com uma suposta promoção que oferecia R$ 100 de desconto em viagens. 

A cifra chama atenção das pessoas que clicam no link e entram num site que simula o oficial da empresa de transporte e pede que os usuários cadastrem nome, CPF, telefone e cartão de crédito. Aqueles que não desconfiavam e enviavam os dados eram redirecionados, agora sim, para o site oficial da Uber, de modo que muitos continuavam sem perceber que caíram num golpe.

Leia também: Empresa detecta vírus que acessa conversas de usuários feitas no WhatsApp

Assim como no golpe do vômito , a estratégia dos criminosos surpreendia, já que eles escolheram utilizar o e-mail em vez do WhatsApp, muito mais comum, para aplicar a fraude. Desta forma, a tática ganhava credibilidade, já que as pessoas tendem a acreditar mais naquilo que recebem na caixa de entrada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.