Tamanho do texto

Vulnerabilidade detectada na última terça-feira (25) na função "Ver como" da rede social só foi comunicada hoje e pode ter afetado até 90 milhões. Veja

Até 90 milhões de usuários terão que acessar novamente sua conta na rede social como consequências das investigações que estão sendo conduzidas após falha no Facebook ser detectada
shutterstock
Até 90 milhões de usuários terão que acessar novamente sua conta na rede social como consequências das investigações que estão sendo conduzidas após falha no Facebook ser detectada

O Facebook anunciou nesta sexta-feira (28) que descobriu uma falha na segurança que afetou quase 50 milhões de perfis. A nova falha no Facebook foi descoberta na última terça (25), mas só foi anunciada hoje através de um post do CEO, Mark Zuckerberg.

Leia também: Facebook anuncia medidas para combater perfis e notícias falsas

Nesse comunicado, o CEO disse que as investigações sobre a falha no Facebook ainda estão no começo, mas que já está claro que o ataque explorou uma brecha no código relacionada ao recurso "Ver como", que mostra ao usuário como o perfil dele é exibido para outras pessoas que frequentam a rede social.

"Estamos levando isso extremamente a sério e vamos informar a todos o que acontece e que ações estão sendo tomadas para proteger a segurança das pessoas", disse a empresa, em comunicado mais completo na "Sala de Imprensa" virtual da rede social.

Os detalhes da falha ainda estão sendo apurados, mas pelo que a empresa informou até o momento, a brecha permitiu o roubo de tokens de acesso ao Facebook, que funcionam como chaves e permitem que usuários permaneçam online sem a necessidade de digitar a senha toda vez que deseja acessar a rede social, portanto, é possível afirmar que a senha dos usuários do Facebook possa ter sido exposta.

Apesar do número oficial de contadas afetadas ser de 50 milhões, o comunicado da empresa informa que outros 40 milhões de usuários serão afetados pelo procedimento de segurança que o Facebook está conduzindo para se certificar de que a vulnerabilidade não continuará exposta. Isso, porém, levanta a hipótese de que o verdadeiro número de contas afetadas possa ter sido ainda maior.

Veja abaixo o comunicado completo divulgado por Mark Zuckerberg e traduzido pelo próprio Facebook:

Leia também: Estudo aponta queda na disseminação de fake news no Facebook

No comunicado, a empresa informa que "nós também invalidamos os tokens de quase 50 milhões de contas que sabemos que foram afetadas, para torná-las seguras novamente. Por precaução, nós também invalidamos acesso a tokens de outras 40 milhões de contas que usaram a funcionalidade 'Ver como' no último ano."

Dessa forma, por conta da falha no Facebook, a empresa informou que cerca de 90 milhões de pessoas ao redor do mundo que utilizavam o recurso de acesso rápido à rede social através dos tokens terão que logar novamente na rede social como resultado das ações tomadas para solucionar o problema. Depois, informou a empresa, elas receberão uma notificação no topo do Feed de Notícias explicando o que aconteceu.

A empresa, porém, não diminuiu o pânico dos usuários do Facebook ao comentar que "como nossas investigações estão apenas começando, ainda temos que determinar se essas contas foram mal utilizadas ou se alguma informação foi acessada", informou na nota divulgada à imprensa.

Leia também: Mulheres foram impedidas de ver anúncios de emprego no Facebook, diz denúncia

Dessa forma, após detecar a falha no Facebook , a empresa comunicou também que a funcionalidade "Ver como" está temporariamente desativada enquanto é feita uma análise de segurança e que a investigação segue em andamento. Por fim, o Facebook lamentou o ocorrido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.