Tamanho do texto

Funcionamento das redes utilizadas na transmissão dos dados das urnas eletrônicas de todo o País será acompanhado pela Anatel no próximo dia 28

Segundo equipe de técnicos da Anatel, envio de dados das urnas eletrônicas para o TSE transcorreu normalmente ontem
Nelson Jr./ ASICS/ TSE
Segundo equipe de técnicos da Anatel, envio de dados das urnas eletrônicas para o TSE transcorreu normalmente ontem

A Agência Nacional de Telecomunicações confirmou que as urnas eletrônicas utilizadas nos dois turnos das eleições para presidente e governador (em 13 estados e DF) serão fiscalizadas, assim como ocorreu no pleito do último domingo (7).

Leia também: TSE troca 1.695 urnas eletrônicas; em SP, urna sugeriu voto nulo para presidente

De acordo com os responsáveis pela fiscalização da Anatel, não houve nenhum problema com as urnas eletrônicas  na votação desse domingo no tocante ao funcionamento das redes utilizadas na transmissão dos dados das urnas de todo o Brasil para o sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O coordenador de fiscalização de serviços da Gerência de Fiscalização, Alexandre Ataíde, e o servidor José Maria da Cruz, da Unidade Operacional do Distrito Federal, estiveram a postos no centro de monitoramento do TSE, em Brasília, para garantir a resolução, pelas prestadoras, de qualquer problema ou interrupção no funcionamento das redes, garantindo o melhor funcionamento da tecnologia.

Leia também: Em discurso após resultado do 1º turno, Bolsonaro fala em fraude nas eleições

Empresas de telecomunicações viram funcionamento de urnas eletrônicas

1.695 urnas eletrônicas foram substituídas nas eleições de primeiro turno no País
Divulgação/Polícia Militar Santa Catarina
1.695 urnas eletrônicas foram substituídas nas eleições de primeiro turno no País

Representantes de diferentes empresas de telecomunicações , tais como Vivo, Oi, Claro e Embratel estiveram presentes. Nos estados, os responsáveis pelas Gerências Regionais e Unidades Operacionais da Anatel ficaram disponíveis em caso de necessidade de ação local junto às unidades do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Antes das eleições, a Anatel emitiu ofícios a outros órgãos para garantia da plena transmisão de dados das urnas para que fossem realizadas as apurações. A interação com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), o Exército e outros departamentos buscou evitar a realização de obras que pudessem danificar a infraestrutura das redes prestadoras de serviço.

Leia também: Em discurso após resultado do 1º turno, Bolsonaro fala em fraude nas eleições

A Justiça Eleitoral teve que substituir 1.695 urnas eletrônicas – 0,33% – em todo o País, de acordo com boletim divulgado pelo TSE e as agência regulamentadoras que trabalham no processo já se preparam para o segundo turno, marcado para 28 de outubro. As informações são do portal da Anatel.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.