Tamanho do texto

Mensagens fraudulentas enganam usuários, que pensam estar recebendo conteúdo vindo da Caixa Econômica Federal; saiba como se proteger

Depois que a Caixa Econômica Federal anunciou que vai liberar R$ 500 para saque das contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), mensagens fraudulentas estão sendo disseminadas via Whatsapp, SMS e e-mail que atraem o usuário para um novo golpe do FGTS .

Golpe do FGTS arrow-options
Reprodução
Tipo fraudulenta, que parece ser elaborada pela Caixa, mas não passa de um golpe do FGTS

O conteúdo é atribuído à Caixa, e tem como promessa o saque imediato do Fundo de Garantia ou, ainda, um “alerta”, informando que o usuário tem saldo em mais de duas contas e que o sistema unificou o total de ambas para o recebimento simplificado.

As mensagens vêm com links que, quando acessados, permitem aos golpistas entrarem em contato com dados pessoais do trabalhador e roubar informações que, na maior parte dos casos, são utilizadas para acessar o Cartão Cidadão, alterar o endereço do beneficiário, por exemplo, e pedir uma nova via do documento - que vai para a casa do fraudador.

Em outros casos, é possível que mais dados sejam roubados, como senhas bancárias, e vírus sejam instalados no dispositivo de quem clica nos links sugeridos na mensagem recebida.

Essa não é a primeira vez que criminosos se passam por instituições do governo para aplicar golpes. Recentemente,  mais de 100 mil pessoas foram lesadas por terem clicado em links que diziam ser da Caixa e prometiam a visualização do saldo do FGTS.

A Caixa Econômica Federal reitera que não envia links nem pede confirmações de dados ou acesso à conta via e-mail, SMS, muito menos Whatsapp. Além disso, a instituição orienta que as informações seguras devem ser consultadas pelo site oficial ou aplicativo do FGTS.

Como saber que é golpe?

  • Fique atento, já que, na maioria das situações, as mensagens pedem que o usuário compartilhe o conteúdo com seu grupo de amigos. A ideia é atingir sua rede de relacionamentos e fazer o golpe chegar a mais pessoas. No entanto, isso não significa que todos que receberem a mensagem pelo WhatsApp serão hackeados. A campanha maliciosa atinge apenas aqueles que efetivamente abrirem o link e seguirem o que a página determina.
  • Ter cuidado com todos os links que acessa também é uma medida de prevenção. Não clique em links enviados por pessoas que você não conhece ou, se estiver desconfiado, questione seu amigo que enviou se o link é seguro. Endereços eletrônicos com muitos caracteres, números, acompanhados de mensagens com erros de ortografia também são suspeitas.

Leia também: Novo golpe no Whatsapp promete 13º para beneficiários do Bolsa Família

Como se proteger?

  • Para não ser pego por essas armadilhas, especialistas destacam a importância dos usuários criarem o hábito de se certificar da veracidade de qualquer informação antes de compartilhá-la com seus contatos. No caso da Caixa, por exemplo, é importante ter em mente que os saques só serão liberados a partir de 13 de setembro. As parcelas não ultrapassam R$ 500 por conta.
  • Não forneça suas informações pessoais se você não está em um site oficial.
  • Além disso, é importante utilizar soluções de segurança em seus dispositivos que contam com função de bloqueio anti-phishing, que previne contra esse tipo de tática, como um antivírus.

Leia também: Como consultar os valores do FGTS e as cotas do PIS nas plataformas da Caixa

Caí no golpe, e agora?

  • Sempre informe à instituição que está sendo usada como “fonte” que você foi vítima de um golpe.
  • Ative uma limpeza de seu antivírus no dispositivo em que você foi atacado.
  • Acione a companhia telefônica, se for preciso, para que seu número seja retirado da base de dados dos criminosos.