Tamanho do texto

A Google anunciou a compra da Fitbit, empresa que desenvolve tecnologias vestíveis, sobretudo relacionadas ao mercado fitness; Google promete dispositivos desenvolvidos em parceria entre as duas marcas

pulseira arrow-options
Reprodução
Google compra Fitbit por mais de R$8 bilhões


A Google anunciou em seu blog, nesta sexta-feira (01), que comprou a Fitbit , empresa americana de dispositivos vestíveis , conhecida pela pulseiras que monitoram atividades físicas. A compra indica um passo da Google para uma maior aproximação com o desenvolvimento de wearables . A compra foi finalizada em US$2,1 bilhões, cerca de R$8,3 bilhões. 

Em seu post no blog, Rick Osterloh, vice-presidente de dispositivos e serviços da Google , disse que o objetivo da empresa é investir ainda mais em tecnologias vestíveis, e que o time da Fitbit tem muito a acrescentar nesse sentido , já que foi pioneira nesse tipo de produto. “Trabalhando em estreita colaboração com a equipe de especialistas da Fitbit e reunindo as melhores inteligências artificiais, software e hardware, podemos ajudar a estimular a inovação em wearables e criar produtos para beneficiar ainda mais pessoas em todo o mundo”, afirmou Osterloh. 

Leia também: Pulseira Mi Band 4, da Xiaomi, chega oficialmente ao Brasil; veja o preço

O post no blog fala ainda no desenvolvimento de novos produtos , que podem unir características dos rastreadores fitness da Fitbit com os smartwatches produzidos pelas Google . Com a compra, a Google pode abocanhar um mercado fitness para o qual a empresa, atualmente, não desenvolve produtos específicos. A concorrência pode ficar mais forte, por exemplo, com a Apple , que já desenvolve muitas opções relacionadas à saúde para seus usuários de smartwatches

Segurança em wearables

Para quem já usa os dispositivos da Fitbit , essa compra pode fazer surgir uma desconfiança em relação à segurança . Se antecipando em relação a isso, Osterloh afirmou, em seu post, que segurança e privacidade são fundamentais.

Leia também: Smartband ou Smartwatch? Conheça cada um e saiba qual combina mais com você

O vice-presidente disse, ainda, que as informações pessoais coletadas pelos wearables nunca serão vendidas a ninguém, e que sequer serão utilizadas pela Google para orientar anúncios. Segundo Osterloh, os usuários de produtos Fitbit terão a opção de revisar, mover ou excluir seus dados.