startup arrow-options
Pixabay/teguhjatipras
Vazamento levanta discussão sobre privacidade


A startup americana de reconhecimento facial Clearview AI informou, nesta quarta-feira (26), que teve toda a sua lista de clientes roubada. A empresa possui um banco de imagens de mais de três bilhões de fotografias retiradas de sites e redes sociais

De acordo com informações obtidas pelo The Daily Beast, o invasor conseguiu acessar a lista de clientes, quantas contas cada um deles configurou e quantas pesquisas realizaram. A empresa informa que o sistema de imagens, porém, não foi comprometido. 

Leia também: App de reconhecimento facial identifica foragidos no carnaval baiano

“Infelizmente, as violações de dados fazem parte da vida no século XXI. Nossos servidores nunca foram acessados. Corrigimos a falha e continuamos a trabalhar para fortalecer nossa segurança”, disse Tor Ekeland, advogado da Clearview AI, ao The Daily Beast. 

Clearview AI envolvida em polêmica

Essa não é a primeira vez que a startup vira motivo de manchetes em jornais. No mês passado, a Clearview AI estampou a primeira página do The New York Times, em uma reportagem que relatou seu trabalho com agências policiais . As agências usaram os serviços da empresa para identificar crianças vítimas de abuso sexual. 

O jornal informou, ainda, que as mais de três bilhões de imagens do banco de dados da empresa seriam retiradas de redes sociais como Facebook e o YouTube , o que viola suas políticas de privacidade . Empresas como Google e Facebook já se manifestaram contra o trabalho da Clearview AI .

    Veja Também

      Mostrar mais