robôs arrow-options
Foto: Eduarda Esteves
O estado de São Paulo vai testar robôs de telepresença como parte de um projeto-piloto de atendimento durante a pandemia do novo coronavírus

O estado de São paulo vai testar robôs de telepresença como parte de um projeto-piloto de atendimento durante a pandemia do Covid-19. O anúncio oficial foi feito em coletiva do governo estadual no Palácio do Bandeirantes,  nesta terça-feira (31).

De acordo com a médica Lilian Arai, à frente da iniciativa, serão três robôs que vão atuar na triagem dos pacientes, no pronto-socorro. "O Departamento de Gastroenterologia da Faculdade de Medicina da USP chegou com a demanda de proteger colaboradores contra a possibilidade de contaminação dos pacientes que chegam da rua com sintomas e não chegam dizendo que podem estar contaminados", conta a médica Lilian Arai, que está à frente da iniciativa.

Aras nega ter sido omisso e diz que é contra decreto de isolamento vertical

As máquinas também serão utilizadas na comunicação dos pacientes com familiares. "Estão buscando formas de dar alento e humanizar o atendimento. Por mais contraditório que pareça, o robô vai trazer possibilidade de humanização dos tratamentos das pessoas com covid-19", afirmou a médica.

Além dos robôs, o governo está expandindo também um sistema de teleconsultoria testado no Complexo Hospitalar do Mandaqui a todos os hospitais da rede pública. Especialistas vão atender outros médicos de mais de 100 hospitais da rede pública do estado de São Paulo através da teleconsulta a partir desta quarta-feira (1º).

Golpes por SMS sobre auxílio de R$ 600 já afetaram mais de 4 milhões

Desenvolvido pelo InCor, o projeto possibilita que especialistas do HC interajam em tempo real com outros médicos da rede, melhorando a assistência aos pacientes com quadro respiratório grave. "O projeto vai permitir a discussão de casos em tempo real e a agilização de procedimentos", afirmou Doria.

Foi criado um protocolo para padronizar os cuidados dos pacientes que precisam de internação nos hospitais estaduais. “Temos um protocolo que foi validado desde a entrada do paciente no hospital até a necessidade de entubação, a necessidade de colocação em ventilação mecânica e quais são os parâmetros, os ajustes para que esses pacientes sejam manuseados de uma maneira uniforme das unidades dentro da Secretaria da Saúde do estado de São Paulo”, disse o pesquisador e diretor da Divisão de Pneumologia do Instituto do Coração (InCor), Carlos Carvalho.

Senado adia votação de projeto que cria renda básica durante pandemia

“São Paulo amplifica o protocolo de atendimento em mais de 100 hospitais através da teleconsulta. Esse é um projeto pioneiro de teleconsultas desenvolvido pelo Incor. O Incor é uma referência nacional e internacional, pertence e está integrado ao Hospital das Clínicas em São Paulo que é o maior complexo hospitalar da América Latina. Esse sistema já está a disposição e começa a ser aplicado a partir de amanhã com protocolo de tratamento de pacientes com coronavírus em toda rede em mais de 100 hospitais públicos da secretaria da saúde", afirmou o governador João Doria (PSDB), durante coletiva de imprensa na tarde desta terça (31) no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul de São Paulo.

    Veja Também

      Mostrar mais