hackers
Agência Brasil
Hackers roubam dados se passando por marcas famosas


Durante a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), os golpes digitais têm aumentado bastante. Agora, hackers estão utilizando o nome de programas de videoconferência famosos, como Zoom , Microsoft Teams e Google Meet para atingir as vítimas. 

De acordo com um relatório da Check Point Research, os cibercriminosos estão registrado domínios com nomes parecidos com os dessas marcas, a fim de se passarem por sites oficiais. A pesquisa identificou 2.449 domínios relacionados ao Zoom , por exemplo, sendo que 32 deles foram detectados como maliciosos e 320 como suspeitos, como informa o site The Verge. 

Em um dos golpes identificados pela Check Point Research, hackers enviavam e-mails se passando pelo Microsoft Teams , com um link para abrir o aplicativo . Quando clicava nele, porém, a vítima fazia o download de um malware no computador. 

Leia também: Golpes digitais aumentam na pandemia; veja as dicas do Google para se proteger

Em outros golpes, as vítimas eram direcionadas a sites de phishing , no qual criminosos roubam dados se passando por grandes marcas. A própria Organização das Nações Unidas ( OMS ) se tornou um grande alvo de cópia para os hackers, que fingem estar pedindo doações para a organização.

Para se proteger de ataques cibernéticos como esses, é muito importante estar atento. Sempre desconfie de e-mails e mensagens alarmantes, não clique em links suspeitos e cheque se a URL é igual à da marca que o texto diz se passar, sem erros e diferenciações ortográficas. Na dúvida, entre em contato direto com a empresa antes de clicar em links e botões, e jamais compartilhe seus dados pessoais sem ter certeza de que a ação é segura.

    Veja Também

      Mostrar mais