Celulares
Unsplash/ROBIN WORRALL
Com o uso do Bluetooth, celulares devem detalhar movimentação de infectados em solo europeu

Nesta terça-feira (16), a Comissão Europeia anunciou mais um avanço tecnológico a ser usado no combate ao Covid-19: aplicativos que irão rastrear e notificar os usuários sobre a proximidade de pessoas infectadas pelo vírus.

Leia também
Brasil ainda não desenvolve aplicativo de rastreamento do novo coronavírus
FaceApp é seguro? Aplicativo que troca o gênero já foi acusado de roubar dados
WhatsApp vai permitir enviar e receber dinheiro pelo aplicativo

Segundo informações do site português Jornal de Notícias, a ideia é que os aplicativos de todos os países da União Europeia sejam interligados e forneçam informações seguras sobre o deslocamento de pessoas e a expansão da doença no continente.

"Os Estados-membros acordaram uma solução de interoperabilidade para as aplicações de rastreio e alerta . Foram definidas especificações técnicas para assegurar um intercâmbio seguro de informações entre os aplicativos de localização de cada país", informou um porta-voz da Comissão nesta terça.

Ainda de acordo com o executivo do órgão, a ideia é que todos os aplicativos funcionem de uma maneira comum e que não sejam "descontinuados" quando os usuários deixarem suas cidades de origem. Ou seja, o objetivo é garantir que os cidadãos sejam monitorados mesmo quando mudarem de país, garantindo assim a confiabilidade do rastreamento de infectados.

Ele ainda ressaltou a importância da interligação entre os países, principalmente no momento em que as restrições de viagens começam a ser derrubadas: "isso significa que, em qualquer parte da UE, um cidadão que tenha um aplicativo de localização poderá receber alertas sobre utilizadores declarados infectados , sem que para isso tenha de fazer novos downloads".

Porém, a ideia encontra resistência entre os usuários. Muitos acreditam que esta seria uma forma de controlar os movimentos das pessoas e de ter acesso a dados que, normalmente, não seriam expostos. Entretanto, os responsáveis pela implementação garantem que todos os protocolos de segurança serão seguidos e que todos os dados serão codificados para impedir acessos não autorizados.

Para garantir tal segurança, o porta-voz afirmou que a ideia é utilizar tecnologia Bluetooth ao invés da geolocalização, uma vez que esta garante a privacidade dos usuários ao permitir a troca de informações entre dispositivos eletrônicos através de uma frequência de rádio de curta distância, sem o compartilhamento da localização.

"A Comissão Europeia vai criar uma interface para receber e transmitir de forma eficaz as informações relevantes das aplicações e servidores nacionais de localização, visando minimizar a quantidade de dados trocados e o consumo de dados dos utilizadores", afirmou a instituição, ressaltando ainda que o compartilhamento deve ser "voluntário, transparente e temporário".

No caso de Portugal, é o aplicativo Stayaway Covid, desenvolvido pelo Instituto de Engenharia de Sistemas e computadores, Tecnologia e Ciência, que ficará responsável pelo monitoramento. Usando a tecnologia Bluetooth, como definido pela Comissão Europeia, vai monitorar a propagação do novo coronavírus e deve entrar em funcionamento em breve.

    Veja Também

      Mostrar mais