pornografia
Unsplash/Gilles Lambert
Celulares se tornaram alvo de golpes


O número de ataques a dispositivos móveis realizados através de conteúdos pornográficos mais do que dobrou em 2019, de acordo com um relatório da empresa de cibersegurança Kaspersky. 


A companhia informa que a pornografia é uma das grandes iscas para golpes virtuais. Isso acontece, sobretudo, pelo caráter sensível e privado do conteúdo, que se torna um terreno fértil para que hackers disseminem ataques cibernéticos. 

Para disseminar os ataques, os criminosos disparam arquivos disfarçados de vídeos pornográficos. Quando um usuário clica, um software malicioso é instalado em seu dispositivo, gerando o roubo de dados. 

Embora os ataques relacionados à pornografia tenham dobrado em dispositivos móveis, os computadores seguiram o sentido contrário. Em 2019, esse tipo de golpe caiu em 40% em PCs. 

"À medida que os usuários estão se tornando mais mobile, os cibercriminosos também acompanham essa tendência. Vimos que, embora a disseminação de malware voltados para PC tenha caído, o oposto acontece em relação aos dispositivos móveis, cujas ameaças não param de aumentar. Embora não tenhamos testemunhado muitas mudanças nas técnicas usadas pelos cibercriminosos, as estatísticas revelam que o tema da pornografia continua sendo uma fonte constante de distribuição de ameaças", explica Dmitry Galov, analista de segurança da Kaspersky.

    Veja Também

      Mostrar mais