Dados de brasileiros estão à venda na internet
Unsplash/Mika Baumeister
Dados de brasileiros estão à venda na internet

Mais um vazamento de dados afeta milhões de brasileiros. Desta vez, informações de 112 milhões de pessoas estão à venda desde domingo (14) no mesmo fórum no qual são comercializados os dados do megavazamento de 223 milhões de CPFs . As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Os 112 milhões de brasileiros tiveram os seguintes dados expostos: nome, documentos pessoais (CPF de todos e RG de alguns), número do WhatsApp, endereço, data nascimento, nome da mãe, profissão, faixa salarial, possibilidade de já estar morto, cadastro no Bolsa Família e informação se já estar aposentado ou não.

O grande diferencial deste vazamento é a quantidade de pessoas expostas gratuitamente. Geralmente, hackers liberam uma amostra do banco de dados para que outros cibercriminosos possam avaliar e decidir comprar mais informações. Essa amostra comumente é de um número limitado de pessoas e possui algumas rasuras.

Deste vez, 250 mil pessoas estão expostas na amostra, que revela todos esses dados integralmente, sem rasuras. "O maior risco está na forma como essas 250 mil pessoas já estão expostas de forma aberta, enquanto outras 100 milhões estão expostas à medida que os dados forem sendo comercializados", explica Felipe Daragon, fundador da empresa de cibersegurança Syhunt, ao Estadão.

De acordo com o anúncio feito pelos hackers , os dados foram coletados em janeiro de 2021. Não se sabe a origem deles e nem se estão relacionados ao megavazamento de janeiro. A mensagem do cibercrimoso está escrita em português e a venda é feita em valor acima do praticado no mercado: o pacote completo, com 20 GB de informações, é comercializado a 0,12 bitcoin, o equivalente a R$ 38 mil.

Confira algumas dicas do que fazer em casos como esse, já que cibercriminosos podem usar dados vazados para aplicar golpes :

  • Nunca compartilhe suas senhas com outras pessoas;
  • Não compartilhe dados pessoais (sobretudo bancários) com terceiros;
  • Não repasse códigos que receber por SMS;
  • Sempre que receber alguma ligação, e-mail ou mensagem de algum serviço que você possui (como banco ou operadora de telefonia), desligue e entre em contato com um canal oficial da empresa;
  • Não clique em links duvidosos e sempre procure canais oficiais;
  • Não conceda seus dados para descobrir se seus dados foram vazados;
  • Sempre que perceber um golpe, alerte seus amigos, familiares e conhecidos. O compartilhamento de informação a respeito da educação digital é essencial para que todos estejam protegidos;
  • Utilize o serviço Registrato , oficial do Banco Central, para saber se criminosos abriram contas bancárias ou pediram empréstimos utilizando os seus dados.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários