Monique e Jairinho, mãe e padrasto de Henry Borel
Reprodução/TV Globo
Monique e Jairinho, mãe e padrasto de Henry Borel

O software israelense Cellebrite Premium foi o responsável por recuperar mensagens apagadas dos celulares de Dr. Jairinho e Monique Medeiros , levando o casal à prisão nesta quinta-feira (8) pela morte de Henry Borel . De acordo com o delegado Antenor Lopes, o sistema "contribuiu de maneira muito importante para a investigação". As informações são do G1.

O Cellebrite Premium foi o responsável por recuperar, no celular de Monique, uma série de capturas de tela que mostram uma conversa entre ela e a babá da criança. As informações revelam que Henry sofria uma rotina de agressões por parte de Jairinho.

Como funciona o sistema

Comprado para a investigação, o software consegue realizar a perícia de dispositivos eletrônicos . Com ele, é possível que a polícia desbloqueie a grande maioria dos celulares com Android ou iOS .

Apesar do seu funcionamento ser um segredo comercial, é possível saber que o Cellebrite utiliza tecnologias de software e hardware para extrair qualquer informação do celular em perícia, inclusive dados apagados. Para isso, são utillizadas brechas de segurança que são mantidas em sigilo, a fim de que não sejam corrigidas pelas fabricantes de celulares através de atualizações.

Você viu?

Os dados apagados podem ser recuperados na maioria dos casos, mas não em todos. Quando deletamos uma informação do nosso celular , ela deixa de ser visível, mas ainda está gravada - e por isso é possível resgatá-la usando sistemas específicos. Com o passar do tempo, porém, é possível que outras informações sejam gravadas "por cima", deixando vestígios cada vez mais incompletos e irrecuperáveis.

Aqui no Brasil, o Cellebrite é usado pela Polícia Federal e já foi utilizado na Operação Lava Jato . Globalmente, o software israelense também é bastante utilizado, inclusive em investigações de tráfico internacional de drogas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários