Perfis que propagam desinformação continuam ativos nas redes sociais
Unsplash/dole777
Perfis que propagam desinformação continuam ativos nas redes sociais

65% de todo o conteúdo falso sobre vacinas compartilhado nas redes sociais  têm origem em apenas 12 perfis, de acordo com relatório da ONG Centro de Combate ao Ódio Digital (CCDH, na sigla em inglês) e da Anti-Vax Watch, organização que monitora o movimento antivacina nos Estados Unidos.

O estudo analisou 812 mil publicações no Facebook , Twitter e Instagram entre os dias 1º de fevereiro e 16 de março de 2021. Como resultado, a análise percebeu que quase dois terços das informações falsas sobre o tema tinham origem no que 12 indivíduos dizem - para os pesquisadores, eles ficaram conhecidos como "os 12 da desinformação".

"[Eles] continuam operando no Facebook, Twitter e Instagram. Conteúdo falso e enganoso produzido pelos 12 indivíduos e suas organizações foram visualizadas até 29 milhões de vezes no mês passado", disse a CCDH, em comunicado.

Ainda segundo a ONG, os CEOs de Facebook e Twitter foram avisados sobre a existência desses propagadores de conteúdo falso em uma audiência do Congresso dos Estados Unidos, no dia 25 de março. 

"Desde o interrogatório com os legisladores, o fracasso dos CEOs em cumprir suas promessas com ações permitiu aos '12 da desinformação' publicar 105 peças de desinformação", disse Imran Ahmed, CEO da CCDH.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários