Reconhecimento facial incrimina erroneamente pessoas negras
shutterstock
Reconhecimento facial incrimina erroneamente pessoas negras

A Amazon afirmou, nesta terça-feira (18), que sua ferramenta de reconhecimento facial , chamada Rekognition, continua proibida por tempo indeterminado de ser utilizada por policiais. Em junho passado, a empresa havia imposto uma suspensão de um ano que, agora, foi renovada. As informações são da agência France Presse.

De acordo com a Amazon na ocasião, a pausa no uso policial da tecnologia daria ao Congresso dos Estados Unidos tempo para decretar proibições sobre o uso indevido do reconhecimento facial . Agora, a empresa não deu mais detalhes.

A decisão de junho passado foi tomada em meio a protestos. A tecnologia teria falhas, sobretudo ao analisar pessoas negras, e estaria gerando brutalidade policial. Ainda não ficou claro até que ponto a polícia americana realmente utilizou o Rekognition.

Ativistas afirmam que a tecnologia de reconhecimento facial da Amazon é enviesada e, por isso, poderia trazer danos à sociedade. Na semana passada, eles pediram para a empresa parar permanentemente de vender seu sistema Rekognition.

"A tecnologia de reconhecimento facial é muito perigosa para ser implementada por capricho de corporações como a Amazon", disse Evan Greer, do grupo ativista Luta pelo Futuro, um dos grupos da coalizão de ativistas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários