Consumidores poderão pedir maconha no Uber Eats no Canadá
Pedro Knoth
Consumidores poderão pedir maconha no Uber Eats no Canadá

A Uber começará em breve um novo serviço no Canadá, que permitirá que os usuários comprem maconha pelo Uber Eats. Os clientes poderão fazer o pedido pelo aplicativo, por meio da varejista Tokyo Smoke e, em seguida, retirá-lo em uma das lojas próximas. O uso recreativo da erva é legalizado no país, mas a sua distribuição ainda é proibida. 

A venda só será permitida para adultos com mais de 21 anos, que deverão comprovar a maioridade pelo aplicativo. Com a iniciativa, a Uber e a Tokyo Smoke acreditam que ajudarão os canadenses a comprar cannabis de forma legal e segura, combatendo os vendedores ilegais, que detêm 40% das vendas do produto.

Estima-se que o mercado de maconha do Canadá movimente cerca de US$ 4 bilhões (mais de R$ 22 bilhões) por ano. Esse número pode chegar a US$ 6,7 bilhões (cerca de R$ 37,2 bilhões) em 2026, segundo dados da empresa de pesquisa da indústria BDS Analytics.

Em abril, o CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, havia sinalizado a possibilidade de entregar maconha nos Estados Unidos, caso a droga fosse legalizada em nível nacional. “Quando o caminho estiver livre para a cannabis, quando as leis federais entrarem em ação, vamos absolutamente dar uma olhada nisso”, afirmou o executivo na ocasião.

O uso recreativo da maconha é legalizado em cerca de 18 estados americanos para adultos maiores de 21 anos. Já o uso medicinal é liberado em mais de 30 dos 50 estados. 

No Brasil, o uso recreativo da cannabis é ilegal, e o medicinal ainda depende de autorização da Justiça. Em junho, a comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou a legalização do cultivo, exclusivamente para fins medicinais, veterinários, científicos e industriais . O projeto agora aguarda deliberação do recurso na Mesa Diretora para ser votado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários