Procon-SP alerta para sites falsos que usam Black Friday para aplicar golpes
Pedro Knoth
Procon-SP alerta para sites falsos que usam Black Friday para aplicar golpes

Em dia de Black Friday , aproveitar as melhores promoções é lei para todos os consumidores. No entanto, propostas tentadoras, como celular de R$ 2 mil por R$ 800 ou televisor de R$ 4 mil por R$ 1,5 mil, podem gerar dor de cabeça para o usuário.

O Procon-SP lançou nesta semana uma lista de sites suspeitos ou investigados por aplicarem golpes no cliente. Segundo o órgão, os estelionatários aproveitam a data para oferecer descontos imperdíveis e, após o pagamento, não entrega o produto prometido.

"É preciso ter essa cautela e comprar de preferência por plataformas que já são conhecidas", recomenda o diretor-executivo do Procon-SP, Fernando Capez.

Capez orienta que o consumidor pesquise sobre as lojas, como verificando o endereço e CNPJ da empresa. Caso o local informado não seja de confiança, o consumidor deve ficar atento.

"Verificar o CNPJ da empresa ou endereço é fundamental para a confiabilidade da loja. Se o consumidor suspeitar o endereço, por exemplo, não realize a compra. No caso do CNPJ, se não estiver no site da Receita Federal, o melhor a se fazer é evitar fechar negócio", completa.

Leia Também

Leia Também

Para verificar o CNPJ de uma empresa, basta entra r no site da Receita Federal e fornecer os dados solicitados. Além do endereço verdadeiro, é possível verificar o quadro de sócios.

Outra dica do Procon-SP é pesquisar sobre a reputação das empresas em sites especializados e redes sociais.

"Pesquisar a reputação das empresas em sites de reclamações pode ajudar o consumidor a definir o melhor lugar para comprar nesta Black Fraday. Use as redes sociais para pesquisar a confiabilidade da empresa também. Comentários, publicações de outros clientes podem facilitar e diminuir prejuízos futuros ao consumidor", lembra Fernando Capez.

É possível conferir os sites suspeitos no site do Procon-SP. Em caso de fraude, o consumidor deverá fazer um boletim de ocorrência na Polícia Civil e avisar o órgão sobre o prejuízo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários