É comum encontrar fotos publicadas na internet com dados sensíveis borrados, seja os números do cartão de crédito, da placa de carro ou mesmo rostos de pessoas. A prática funciona quando a intenção é esconder as informações de outras pessoas, mas borrar as imagens deixou de ser seguro por conta do aprendizado de máquina, que é capaz de identificar rostos e outros dados na imagem com boa precisão.

Mark Zuckerberg borrado
Esse é o Mark? (Imagem: Anthony Quintano/Flickr)

A técnica não remove o borrado da foto para revelar o conteúdo, mas compara os padrões das imagens para identificar o que há escondido. Funciona assim: Suponhamos o borrão seja de um número de cartão de crédito, um script — código que executará o processo — criará várias imagens com variações diferentes para os dígitos até encontrar a combinação mais próxima, aplicando o mesmo efeito de borrar também nas novas imagens.

Pesquisadores da Universidade do Textas e da Universidade de Cornell concluíram que esse processo desenvolvido pelo aprendizado de máquina tem uma precisão de 71% de acerto para o reconhecimento de rostos. O processo dos pesquisadores consistia em usar imagens públicas para alimentar o algoritmo que reconheceria rostos de pessoas em vídeos do YouTube, o script correlacionava as imagens borradas para tentar reconstruir a partir dos padrões.

O processo é semelhante ao ataque de senha de dicionário ou conhecido como força-bruta, no qual o algoritmo tentará usar todas as palavras de um idioma (até com variações conhecidas já vazadas) para tentar acertar a senha, como ilustrado pelo site Sudo null .

Leia Também

Leia Também

Quem vai ter esse esforço pelos meus dados?

Nunca se sabe quem está disposto a perder o tempo do processo em troca de algum dado sigiloso, principalmente se essa informação vai render alguns “lucros” para quem a consegue. A privacidade e segurança digital devem ser levados a sério, principalmente em uma era de crimes digitais, como o doxxing. Evitar brechas é fundamental para não se comprometer no futuro — lembrando que uma vez que os dados caem na rede, é quase impossível apagar as pegadas digitais.

Como esconder os dados de forma eficiente (e prática)

Já que borrar ou pixelar os dados se mostrou um processo pouco seguro, a melhor maneira de contornar o problema é simplesmente usar uma tarja para sobrescrever o conteúdo da imagem, dessa forma não há padrão para tentar refazer, apenas um bloco sólido de cor.

Imagem de um cartão de crédito do Nubank com uma tarja para cobrir o nome do proprietário
Cartão de crédito Ultravioleta do Nubank (Imagem: Reprodução/Nubank)

Com informações: Lifehacker .

Por que borrar fotos para esconder dados é uma ideia ruim

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários