iPhones têm produção prejudicada
Divulgação/Apple - 08.03.2022
iPhones têm produção prejudicada

Dois anos após o início da pandemia de Covid-19, o novo coronavírus ainda causa impactos ao redor do mundo. As fábricas responsáveis por produzir o iPhone e outros produtos tiveram as suas atividades interrompidas devido a um novo lockdown na China . A medida foi adotada para conter uma nova onda da doença.

Leia Também

As interrupções aconteceram em Shenzhen, um dos maiores polos tecnológicos da China. Devido a um surto da doença causada pelo novo coronavírus, as autoridades locais optaram por decretar um lockdown na região. As restrições estão previstas para durar até 20 de março e já resultou até na suspensão do transporte público da cidade.

O confinamento também atingiu diretamente o coração da indústria de tecnologia. De acordo com o Nikkei Asia, as fábricas da região suspenderam as suas atividades nos últimos dias. Entre as empresas afetadas, está a Foxconn, que tem um dos seus maiores centros industriais localizado na região.

Suspensão nas fábricas atinge produção de iPhones

A suspensão tende a afetar diversas empresas, incluindo a Apple. Ainda assim, a Foxconn buscou meios para minimizar o impacto na produção de produtos como o iPhone ao distribuir a produção para outras unidades do país, e começou a solicitar testes diários de PCR de seus funcionários. A região também abriga as operações de diversas empresas chinesas, como a Huawei, Oppo e TCL.

Ainda não se sabe quais serão necessariamente os impactos na distribuição de produtos fabricados na região. Mas a expectativa é de que a paralisação afete, principalmente, a chegada do novo iPhone 14, previsto para o segundo semestre de 2022. Vale lembrar que a produção do iPhone 13 chegou a ser suspensa por falta de chips em 2021.

Mas não é só a Apple que será afetada pelas medidas de contenção. Segundo o periódico asiático, a Foxconn também trabalha com outras companhias, como a Amazon e o Google. A Reuters ainda informou nesta segunda-feira que o lockdown em Shanghai atingiu a Unimicron, que fornece serviços para a Intel e Nvidia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários