iPhone SE foi lançado com processador do iPhone 13
Divulgação/Apple - 08.03.2022
iPhone SE foi lançado com processador do iPhone 13

O iPhone SE 3 teve lançamento anunciado  neste mês, e trouxe como destaque o processador A15 Bionic, mesmo chip presente nos poderosos smartphones da família iPhone 13. Apesar disso, o modelo mais acessível custa cerca de R$ 2 mil a menos do que a versão mais básica da linha premium. Mas, afinal, vale a pena comprar o celular "menos caro" da Apple? Ou os benefícios do iPhone 13 falam mais alto nesta disputa? Para ajudar você a acabar com essas dúvidas, montamos o comparativo a seguir.

Design: iPhone SE mantém corpo do iPhone 8

Clássico ou ultrapassado? Você decide. O fato é que o iPhone SE (2022) conserva o "corpinho" com traços que remetem aos velhos tempos: bordas generosas ao redor do display e o popular botão Home, que abriga o Touch ID.

Se você é mais nostálgico, este pode ser um trunfo: uma máquina poderosa dentro de uma carcaça semelhante à do iPhone 8. Além disso, trata-se de um smartphone menor para quem está cansado de celulares com telonas — mas vale ressaltar: ele não é tão pequeno quanto o iPhone 13 Mini, que ainda fornece um aproveitamento melhor de tela.

Outro ponto que é superior na linha iPhone 13 é a resistência à água e poeira, que é garantida pela certificação IP68. Segundo a Apple, os telefones desta safra aguentam submersão em profundidade de seis metros por até 30 minutos.

Já o iPhone SE (2022) tem certificação IP67. Sua resistência à água e poeira existe, mas em um grau menor: em profundidade máxima de um metro por até 30 minutos.

Agora, pensando em resistência a quedas, o iPhone SE de terceira geração promete trazer o "vidro mais resistente em um smartphone na frente e atrás". Trata-se do mesmo vidro presente na traseira do iPhone 13 Pro e do iPhone 13. Os modelos do portfólio premium, no entanto, ainda se destacam com o Ceramic Shield na parte frontal, oferecendo até 4 vezes mais resistência.

Para finalizar a parte de construção, temos o iPhone SE (2022) em alumínio, assim como o iPhone 13 e 13 Mini. Já as versões Pro são feitas em aço inoxidável.

Tela: iPhone 13 entrega maior aproveitamento

Se você gosta de telas com cores mais vivas, faz questão do melhor contraste e está em busca de um painel que proporcione um verdadeiro show de imagens, o telefone mais básico da Apple pode deixar a desejar. Isso porque o iPhone SE (2022) ainda traz aquela antiga tela Retina HD de apenas 4,7 polegadas, com tecnologia IPS LCD e True Tone.

Esta não é uma tela ruim, mas os modelos da linha iPhone 13 têm display Super Retina XDR OLED, contando com HDR e True Tone, para uma reprodução com cores mais fiéis. As versões Pro e Pro Max contam também com taxa de atualização de 120 Hz (ProMotion), que ajudam a entregar uma sensação gráfica ainda mais fluida.

Armazenamento: iPhone SE (2022) começa em 64 GB

Quem acompanhou os últimos lançamentos da Apple deve ter notado que a empresa começou a deixar de lado os modelos de smartphone com 64 GB. É um movimento natural da indústria. Mas isso não se repete com o iPhone SE (2022), que conta com essa opção mais básica para quem ainda consegue gerenciar bem o espaço interno do dispositivo.

Por outro lado, na linha iPhone 13, a versão de menor armazenamento é a de 128 GB — quantidade de memória mais segura para quem costuma armazenar muitos apps, fotos e vídeos no celular. O máximo pode chegar a 1 TB (iPhone 13 Pro e Pro Max).

Desempenho: A15 Bionic alimenta os quatro aparelhos

O desempenho do iPhone SE (2022) deve ser semelhante ao dos modelos mini e convencional da linha iPhone 13. Isso porque todos estes contam com o chip A15 Bionic, GPU de 4 núcleos e memória RAM de 4 GB.

Saem na frente o iPhone 13 Pro e Pro Max, que têm GPU de 5 núcleos e memória RAM de 6 GB, sendo mais indicados para quem quer o máximo de performance em jogos mais complexos ou aplicativos de edição de vídeo.

Câmeras: iPhone 13 entrega maior versatilidade

Escolher o iPhone SE (2022) pela economia também significa abrir mão de tecnologias mais avançadas para câmeras. Tirando as melhorias computacionais para o tratamento de imagens proporcionadas pelo A15 Bionic, a terceira geração do iPhone SE mantém o hardware do seu antecessor, lançado em 2020.

Leia Também

Na prática, isso significa apenas uma câmera traseira de 12 megapixels e uma frontal de 7 MP, resultando em menor versatilidade na hora de fotografar.

Um trunfo da linha iPhone 13, o Modo Noite, não está presente no iPhone SE (2022), bem como o Modo Cinema, para gravação de vídeos com profundidade de campo (1080p a 30 fps), e o Modo ProRes das versões Pro.

A câmera frontal do iPhone SE (2022) não é TrueDepth, e portanto o dispositivo não tem o Face ID para reconhecimento facial no desbloqueio e em pagamentos.

De todo modo, você ainda poderá tirar fotos com Modo Retrato (fundo desfocado) e gravar vídeos em até 4K com a câmera traseira, ainda que com uma estabilização de imagem inferior, especialmente em ambientes com pouca luz.

Bateria, acessórios e 5G

Quem tem a rotina mais agitada e depende bastante do smartphone no dia a dia pode acabar se assustando com os números do iPhone SE (2022). Se comparado com a família iPhone 13, o dispositivo é o que oferece menor estimativa de duração da carga.

Apesar disso, ele apresenta uma evolução em relação ao seu antecessor, de 2020. O modelo mais recente tem um componente de maior capacidade, que tende a ter uso mais eficiente devido ao A15 Bionic. Na prática, o iPhone SE (2022) deve aguentar a um dia inteiro longe das tomadas sem grandes problemas.

A terceira geração do iPhone SE também traz o carregamento sem fio no padrão Qi, mas não é compatível com o MagSafe, que permite aproveitar acessórios e carregamento wireless mais rápido.

Em termos de conectividade, todos os modelos deste comparativo são compatíveis com as redes 5G — o que, em outras palavras, significa que todos estão prontos para o "futuro".

Entretanto, cabe ressaltar que o suporte do iPhone SE (2022) é Sub-6, e não inclui o espectro mmWave, ao contrário da série iPhone 13 vendida nos Estados Unidos (modelos A2483, A2484, A2482 e A2481).

Preço: quanto você pode pagar em um iPhone?

Dizer que até mesmo o mais barato dos iPhones custa caro no Brasil é chover no molhado — então, vamos direto ao que interessa. Quanto você está disposto a gastar em um smartphone da Apple? Considerando que esses aparelhos geralmente recebem atualizações por até seis anos, vale refletir sobre como será a evolução do seu perfil de uso até lá.

Se para você, o design de 2017 ainda é o suficiente, telas grandes não são a sua praia e câmeras não estão no foco das suas necessidades, o iPhone SE (2022) pode ser a opção mais indicada por trazer um ótimo desempenho e suporte a 5G. Tudo isso por um preço menor do que os atuais smartphones topo de linha da empresa.

Mas as coisas mudam de foco se você é um usuário que acompanha as mudanças da indústria: display maior e com imagens mais vivas para reproduzir jogos, filmes e séries como um mini-cinema na palma da mão, câmeras que fazem um excelente trabalho à noite ou no escuro, e até mesmo o reconhecimento facial, que acaba sendo mais ágil no dia a dia. Esses são detalhes difíceis de serem ignorados, e não podem ser encontrados no iPhone mais barato com A15 Bionic.

A escolha certa? Depende da sua rotina. De qualquer forma, a certeza é de que em qualquer opção você vai encontrar celulares superpotentes, com muito a oferecer em desempenho e durabilidade.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários