Tamanho do texto

Um dispositivo wearable pode ser "vestido" pelo usuário, mudando e simplificando a forma com que o ser humano se relaciona com a tecnologia

Equipamentos eletrônicos estão cada vez mais presentes na vida das pessoas. Hoje em dia você dificilmente encontrará alguém que não possua um smartphone ou computador. Pensando em facilitar a interação dos seus clientes com os dispositivos, as grandes empresas estão apostando em uma nova forma do usuário utilizar a tecnologia por meio de um novo tipo de dispositivo, chamado de "wearable".

Leia também: Relógio smartwatch tem a cara do Apple Watch e bateria que dura até 120 dias

Alguns dispositivos wearable já estão amplamente disponíveis no mercado, como os smartwatches - relógios inteligentes que atuam como "mini computadores" capazes de se conectar com o seus smartphone, responder mensagens e até mesmo monitorar a saúde!

Um dispositivo wearable, como o Smartband A88+, vendido pela Squalo, serve como uma extensão para o corpo humano
Squalo


O que são wearables e como eles podem mudar sua vida?

O termo "wearable" é usado para definir uma nova abordagem de computação onde o usuário pode "vestir" o dispositivo. O princípio por trás dessa ideia é tornar a relação com os eletrônicos o mais natural possível, tornando a tecnologia uma extensão do ser humano, de forma que o enfoque seja atender às necessidades do consumidor.

Uma das principais vantagens desse tipo de aparelho é que ele não exige que o usuário interrompa suas atividades para usá-lo. Essa relação acontece naturalmente, pois o dispositivo permanece sempre ligado e funcionando. Ele traz a praticidade e a informação que as pessoas procuram atualmente.

Leia também: Câmeras de vigilância permitem monitoramento de qualquer lugar no mundo

A ideia por trás desses aparelhos não é nova. O filósofo Marshall McLuhan, na década de 60, apresentou uma série de teorias consideradas visionárias para sua época a respeito da tecnologia. Para ele, os meios tecnológicos evoluíram a ponto de serem uma extensão do homem, ampliando assim as suas capacidades.

Os wearables nos dias atuais

O pesquisador canadense Steve Mann também já havia previsto o potencial desse novo tipo interação entre o ser humano e a máquina. Dentre suas maiores invenções é possível achar um dispositivo chamado "Digital Eye Glass". Desenvolvido na década de 1970 o aparelho era capaz de, quando vestido, "transformar" o olho humano tanto em uma câmera digital quanto em um aparelho de televisão. Essa tecnologia evoluiu e as funcionalidades foram estendidas, podendo gravar vídeos e até transmitir sons através de vibrações no crânio do usuário.

Infelizmente grande parte desse tipo tecnologia não é acessível à população devido os seus altos custos. Mas já existem produtos baratos e capazes de servirem como um complemento do corpo humano, como o Smartband A88+ da Squalo.

Smartband Track Conectividade com IOS e Android - Preto A88; Por R$149.90 em até 12x de R$12,49
Squalo

Com ele, o usuário pode monitorar os seus batimentos cardíacos e pressão, ler as mensagens  e notificações recebidas em seus aparelhos Android ou iOS sem tirar o celular do bolso, sincronizar suas chamadas e até mesmo monitorar o próprio sono. Tudo isso apenas usando o relógio. O wearable que têm autonomia da bateria de 15 dias é vendido pelo site da Squalo por apenas R$149,90 .



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.