Olhar Digital

Google Torrent
Reprodução
Sites de pirataria estão aparecendo apenas a partir da segunda página de resultados do Google


Sites populares de pirataria, como os que distribuem cópias de filmes e séries, estão lentamente “desaparecendo” dos resultados de buscas no Google . O fenômeno foi notado pelo site TorrentFreak.

Leia também:

Hollywood e Netflix tentam derrubar serviço de streaming pirata

Xiaomi descobre fábrica que falsificava seus fones de ouvido

Mais de 6 petabytes: conteúdo do Pirate Bay demoraria 19 anos para ser baixado

Os sites não foram eliminados dos resultados, algo que o próprio Google afirmou que nunca faria. Em vez disso, simplesmente não estão sendo mostrados na primeira página. Como a maioria dos usuários ignora os resultados da segunda página em diante, eles ficam efetivamente “invisíveis”.

Isso já acontecia em buscas por certas palavras-chave, por exemplo “Game of Thrones Torrent”. Mas agora, mesmo buscando especificamente pelo nome dos sites que abrigam esse tipo de conteúdo, os principais resultados mostram páginas na Wikipedia , notícias que incluem o nome do site ou mesmo “cópias” que tentam se passar pelos sites originais, o que coloca em risco a segurança dos usuários.

O TorrentFreak notou o fenômeno em buscas por termos como 1337x.to, Torrentz2, EZTV, NYAA, e LimeTorrents, entre outros. Bing e DuckDuckGo , por sua vez, não tiveram problemas em localizar os sites correspondentes e mostrar os respectivos links como primeiro resultado da busca. Tivemos os mesmos resultados em testes aqui no Brasil.

Segundo o TorrentFreak, ainda não está claro porque o Google está agindo desta forma. Uma teoria é que isso seria uma forma de limitar a exposição, e tráfego, aos sites com conteúdo ilegal. Isso vai contra declarações da empresa sobre a remoção de domínios dos resultados de buscas.

“A remoção de sites inteiros é ineficaz e pode facilmente resultar em censura de material legal”, disse o Google , afirmando que esta atitude “enviaria a mensagem errada, favorecendo a censura privada excessiva”.

    Veja Também

      Mostrar mais