Google Pixel 6
Divulgação/Google
Google Pixel 6

Prometidos para serem lançados no outono americano (entre os meses de setembro e novembro), os smartphones Google Pixel 6 e Pixel 6 Pro tiveram suas mais recentes prévias reveladas pelo próprio fabricante nesta segunda-feira (2).

Além do design e outros detalhes técnicos, a empresa publicou também que os aparelhos contarão com chipset (ou System on a Chip – SoC) de fabricação própria: o Tensor. "Tensor é nosso primeiro SoC feito sob medida especificamente para smartphones Pixel", diz a postagem no blog da Google.

Para o Pixel 6, foram selecionadas cores saturadas mais divertidas, e o aparelho conta com uma testa menor acima da faixa da câmera na parte de trás. Por sua vez, o Pixel 6 Pro (cujo nome foi confirmado pela empresa), além de ser maior, tem uma testa mais larga e vem em cores mais discretas.

Conheça as especificações técnicas do Google Pixel 6 e do Pixel 6 Pro

Algumas informações importantes, como preço e data de disponibilidade, ainda são um mistério. Mas a Google deu uma prévia do que esperar, incluindo a confirmação de um sistema de câmera atualizado, com os sensores aprimorados há muito solicitados e um novo design.

Ambos contarão com telas de alta taxa de atualização com câmeras frontais centralizadas, mas Pro tem uma tela maior e mais rápida, de 120 Hz e 6,7”, em comparação com a  tela de 6,4” e 90 Hz do modelo menor. O novo Tensor SoC do Google virá nos dois aparelhos, que devem ser lançados com o Android 12.

Você viu?

Embora o sensor específico da câmera não tenha sido nomeado, e a empresa não tenha fornecido especificações como o tamanho da abertura, essa é uma atualização muito evidente da câmera – tão grande que a empresa não está fazendo nenhum esforço para escondê-lo com o design, dada a grande faixa da câmera na parte traseira. 

Mais sobre o Tensor SoC

Nos primeiros vazamentos sobre os novos aparelhos, o chipset que hoje sabemos ter o nome formal de “Google Tensor” ou “Tensor SoC”, era conhecido como Whitechapel. 

Segundo a empresa, ele foi personalizado para executar os modelos de fotografia computacional do Google e aproveita fortemente as otimizações de IA e aprendizado de máquina para melhor desempenho e para aprimorar experiências comerciais específicas.

Desempenho em fluxos de trabalho padrão e especificações como GHz e contagens de núcleo não foram discutidos, mas o site The Verge foi informado de que “as coisas padrão que as pessoas olham serão muito competitivas e as coisas de IA serão totalmente diferenciadas”.

O Google afirma que a nova TPU permitirá que cada quadro no vídeo gravado obtenha o tipo de processamento HDR que se aplica a imagens estáticas. As fotos dos aparelhos da marca sempre foram excelentes, mas a empresa agora pode finalmente alcançá-las quando se trata de vídeos para smartphones.

No entanto, as vantagens do Tensor e da TPU não são apenas para fotos e vídeos. Aparentemente, também podemos esperar melhorias em coisas como desempenho de tradução, o recurso Live Caption no dispositivo, talk-to-type e outras funções de IA.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários