Tamanho do texto

Dzodan foi preso pela PF por falta de colaboração do WhatsApp, que pertence ao Facebook, a uma investigação

Diego Dzodan é Vice-Presidente do Facebook para a América Latina
Divulgação
Diego Dzodan é Vice-Presidente do Facebook para a América Latina

O vice-presidente do Facebook para a América Latina, Diego Dzodan, solto nesta quarta-feira (2) após passar um dia preso em São Paulo, manifestou-se pela primeira vez sobre o ocorrido em uma mensagem na rede social.

"Estou de volta ao escritório e queria agradacer a todos pelo imenso apoio nas últimas 24 horas. Minha caixa está lotada de mensagens carinhosas de todo o mundo. Cada nota fez uma grande diferença e eu as levei para o meu coração", escreveu.

Ele foi preso pela Polícia Federal após ordem da Justiça de Lagarto, em Sergipe, pela falta de colaboração do WhatsApp, que pertence ao Facebook, em uma investigação sobre tráfico de drogas. O juiz determinava acesso ao conteúdo de conversas de suspeitos. "Temos o maior respeito pelo Brasil e suas leis, e sempre foi nosso objetivo ter um diálogo construtivo com as autoridades", acrescentou o executivo.

Dzodan acabou solto após decisão do Tribunal de Justiça do Sergipe que considerou a prisão como uma "coação ilegal". "Diálogo traz compreensão e permite a todos se beneficiar das oportunidades que a internet oferece", disse o executivo.

O executivo evitou comentar especificamento o teor da ação que resultou na sua prisão e encerrou a mensagem dizendo que retornaria ao trabalho "ajudando pessoas a se conectar e compartilhar". "Podem contar comigo", escreveu.

    Leia tudo sobre: facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.