Tamanho do texto

Conhecida por apresentar "tecnologias que mudam o mundo", evento de tecnologia investiu em áreas já apresentadas por edições anteriores

Maior feira de tecnologia e inovação do mundo, a Consumer Electronics Show (CES) 2017 terminou no domingo (8) e apresentou as principais tendências para os próximos anos do setor. Realizado em Las Vegas, nos Estados Unidos, o evento já é conhecido por apresentar o que será usado pelos consumidores nos próximos anos. Como explicam seus organizadores, a feira apresenta "tecnologias que mudam o mundo".

Os quatro dias de CES 2017  foram aproveitados por centenas de empresas, que apresentaram lançamentos em diversas áreas, desde caixas de som flutuantes  até a realidade virtual voltada para o "entretenimento adulto". Assim como aconteceu em edições anteriores, as áreas que mais se destacaram foram os robôs inteligentes, dispositivos de realidade virtual e aparelhos para tornar a casa inteligente. Confira abaixo os principais destaques de cada área.

Robôs

De acordo com o que foi apresentado no evento, 2017 será, definitivamente, o ano dos robôs . Dezenas de empresas mostraram robôs nas mais variadas formas e funções. Uma das principais tendências nesse sentido foi a de máquinas voltadas para as crianças. O primeiro deles é o Kuri, desenvolvido pela Mayfield Robotics que pode ler, tocar música, caminhar pela casa evitando obstáculos, além de observar a casa e as crianças com uma câmera, se for desejado.

CES 2017: robô Kuri consegue ler, tocar músicas, caminhar pela casa e promete se uma boa companhia para as crianças
Divulgação/Mayfield Robotics
CES 2017: robô Kuri consegue ler, tocar músicas, caminhar pela casa e promete se uma boa companhia para as crianças

Nas cores branco e preto e com formas arredondadas, o robô parece ter saído de um desenho animado. Mesmo sem ter sido criado espeficamente para crianças, seu design "fofo" permite ser uma ótima companhia para os pequenos. Outra máquina que promete proteger bebês e crianças pequenas é a Envirocam, da OneLink. Com "multisensores" que monitoram os batimentos cardíacos dos pequenos, a câmera-babá avisa os pais ou responsáveis sempre que percebe algo de errado, como se o bebê parar de respirar, por exemplo.

+ Da televisão à realidade virtual: as inovações ao longo dos 50 anos da CES

O robô também conta com sensores de umidade do ar, temperatura e monóxido de carbono. Além deles, outros robôs que também fizeram sucesso na CES 2017, foram o assistente pessoal Hub Robot, da LG, e o "elfo de cozinha" Mykie, da Bosch.

Realidade virtual

Outra área que recebeu a atenção na feira foi a realidade virtual. Ainda que esteja se desenvolvendo, a ideia de usar uma tecnologia potente para se isolar da realidade continua popular, tanto que modelos como o Oculus Rift e o HTC Vive, apresentados na edição anterior da CES, seguiram muito visitados nos estandes da Oculus e da HTC neste ano.

Além dos modelos já conhecidos pelos usuários, a feira recebeu o lançamento de outros dispositivos. Os principais foram os óculos de realidade virtual ODG R-8 e R-9, da ODG, e os protótipos da Lenovo e da Intel, que devem fazer sucesso nos próximos anos.

A realidade virtual também chegou ao "entretenimento adulto". Com estande discreto, mas sempre cheio, a Naughty America, companhia de filmes eróticos, divulgou a criação de material pornográfico feito em formato específico para a tecnologia, com todas as cenas em 360º. A companhia quer conquistar um público que gostaria de gastar por um conteúdo único e cada vez mais real.

CES 2017: apresentado na edição anterior da feira, Oculus Rift segue como um dos destaques na área de realidade virtual
Divulgação
CES 2017: apresentado na edição anterior da feira, Oculus Rift segue como um dos destaques na área de realidade virtual

+ Realidade virtual: veja os aplicativos gratuitos disponíveis no mercado

Casa e objetos inteligentes

Por fim, outra tendência que ficou bem clara na CES 2017 foi a Internet das Coisas por meio da ideia de casas e objetos inteligentes. Nesse sentido, um bom exemplo é o Sky, o mordomo virtual da Vivint. Por meio de algoritmos e inteligência artificial, o sistema analisa a rotina da casa para automatizar tarefas domésticas, podendo saber o momento ideal para apagar ou acender a luz, ligar aparelhos eletrônicos, monitorar a temperatura e até ativar a limpeza. O "mordomo" também pode responder e obedecer aos comandos dos donos da casa.

CES 2017: Sky usa algoritmos e inteligência artificial para analisar a rotina da casa e automatizar tarefas
Divulgação/Vivint
CES 2017: Sky usa algoritmos e inteligência artificial para analisar a rotina da casa e automatizar tarefas

Outro sistema de inteligência virtual que fez sucesso no evento, e que o faz desde 2014, é o Alexa, o assistente pessoal da Amazon. O Alexa conta com 33 mil tarefas, entre comandos simples e mais específicos, como pesquisar informações, descobrir a música e ler as notícias.

No entanto, o real objetivo do assistente pessoal é utilizar outros objetos inteligentes compatíveis ao sistema, como geladeiras, robôs, fornos, sistemas de iluminação e televisão, para regular a temperatura da casa, trancar as janelas e portas, mudar o canal da TV e ajustar as luzes, por exemplo. Tudo isso apenas com comandos de voz.

+ Conheça cinco dicas para organizar sua caixa de entrada do Gmail

Outro objeto inteligente que foge das já comuns pulseiras que monitoram os batimentos cardíacos é a Sleep Number 360, a cama inteligente. O produto tem como objetivo ajudar na noite de sono do usuário. Para isso, ela ajusta a elevação do colchão calculando os movimentos da pessoa durante a noite e até registra o ronco do usuário, ajustando a cama para que a respiração da pessoa se estabilize e ela possa parar de roncar.

* Com informações da Ansa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.