Tamanho do texto

Capital e cidades vizinhos desligarão sinal analógico em 29 de março; ritmo de distribuição de conversores deve ser aumentado nos próximos meses

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) confirmou nesta terça-feira (31) que não fará alterações no cronograma de desligamento do sinal analógico em São Paulo e cidades vizinhas. Desta forma, os domicílios da região deverão estar aptos a receber o sinal de TV digital até 29 de março. A preocupação neste momento é atender às famílias de baixa renda com a distribuição dos kits gratuitos, que incluem o conversor digital, uma antena e um controle remoto.

LEIA MAIS: 86% dos domicílios de São Paulo estão preparados para transição da TV digital

"A gente está um pouco atrasado na distribuição de kits para a população de baixa renda", revelou Antonio Martelleto, diretor-geral da EAD (Associação Administradora do Processo de Redistribuição de Digitalização de Canais de TV e RTV). Segundo ele, já foram distribuídos cerca de 378 mil kits gratuitos de TV digital na região metropolitana de São Paulo. O número representa pouco mais de 20% do planejado.

Pesquisa da Anatel revelou que 86% dos domicílios de São Paulo e região já estão aptos a receber o sinal da TV digital
iStock
Pesquisa da Anatel revelou que 86% dos domicílios de São Paulo e região já estão aptos a receber o sinal da TV digital

LEIA MAIS: Pesquisa aponta que 5G terá impacto no PIB global de US$ 3 trilhões

A EAD deve entregar 1,87 milhão de kits gratuitos para a população de baixa renda nos próximos meses. Se a projeção for atingida, o investimento deve chegar à ordem dos R$ 400 milhões. A entidade pretende acelerar a distribuição e levar os aparelhos para metade dos beneficiários até a data do desligamento. Para se ter uma ideia, nas últimas quatro semanas, foram distribuídos cerca de 130 mil kits na região. Nas próximas quatro semanas, a entidade deve entregar, aproximadamente, 160 mil kits.

Os números a respeito da distribuição foram apresentados pela Anatel após divulgação de pesquisa que verificou o índice de digitalização da população. O levantamento revelou que 95% dos entrevistados já ouviram falar em sinal digital e 86% dos domicílios já estão aptos a receber o novo sistema. De acordo com Martelleto, o resultado animou os participantes da reunião, já que os dados sinalizaram "um patamar mais alto do que aconteceu em Brasília no mesmo período", por exemplo.

A pesquisa também apontou que, se o sinal analógico fosse desligado hoje, 8% da população ficaria sem acesso à televisão. O índice equivale a cerca de 500 mil pessoas na região. Para Martelleto, o volume de pessoas que ainda não estão preparadas para receber o novo sinal está dentro do esperado. "A nossa avaliação é que faz parte do comportamento esperado. Existe um percentual de pessoas que deixam para última hora".

LEIA MAIS: Cobrança de ISS para Netflix e Spotify é inconstitucional, diz advogada

A estratégia da EAD neste momento é aumentar a divulgação sobre a mudança. "A campanha segue forte e, nos últimos dois meses, ela é mais forte ainda. Não vai ser por falta de comunicação que as pessoas não vão fazer o movimento".

Quem pode receber o kit da TV digital?

Se você está inscrito em algum programa social do Governo Federal, como Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida, seu nome poderá estar na lista de beneficiários para retirar gratuitamente o kit com conversor digital, antena e controle remoto. Para realizar a consulta, acesse o site da Seja Digital  ou ligue para o número 147. A página é mantida pela EAD, associação responsável por operacionalizar a migração do sinal analógico no País.

Ao visitar o site, tenha em mãos o número do CPF (Cadastro de Pessoa Física) ou do NIS (Número de Identificação Social). Se você estiver apto a receber o kit da TV digital, o site permitirá realizar um agendamento para retirar o conversor em um ponto próximo da sua residência. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.