Tamanho do texto

Trazer o assunto para a consciência da empresa já é um primeiro passo para proteger os equipamentos, os serviços e os dados empresariais; confira

Brasil Econômico

Imagine um desconhecido com acesso a todas as suas informações pessoais e da sua empresa, e que, por mais sigilosas que elas pareçam ser, podem ser roubadas. Esse furto de informação não pode vir só do seu computador, como no recente ataque hacker que impactou diversas empresas do mundo, mas também da telefonia da sua empresa .

Leia também: Bitcoin: conheça um pouco mais sobre a moeda virtual irrastreável

Não se deve prezar pela economia na segurança contra hacker, diz CEO
BBC Brasil
Não se deve prezar pela economia na segurança contra hacker, diz CEO

“Quando uma empresa utiliza PABX IP, Centrais com placas de Voz sobre IP, ou o próprio serviço Voip em si, muitas vezes o propósito desta aquisição é contornar custos com ligações”, isso é o que avalia o CEO do Grupo Encanto Telecom, Robson Costa, que embora reconheça a importância de economizar gastos, também compreende que essa medida ao extremo pode fazer com que o empresário não enxergue malefícios acerca de um ataque hacker .

“Ao se espremer demasiadamente o valor dos fornecedores, se extraem muitos custos operacionais do serviço, beirando a irresponsabilidade na entrega do mesmo. Afinal, muita gente não sabe que seu consumo de minutos, seja ele pré pago, pós pago ou franqueado, pode ser utilizados por terceiros, caso sua central não esteja bem protegida”. Com isso, o especialista quer dizer que uma única vez afetada a internet e a telefonia, as redes passam a um estado de total exposição aos ataques, na medida em que se menospreza a segurança cibernética da sua empresa.

A aposta por uma economia pode se tornar cara, relembra Costa. Desta forma, procurar por uma empresa de serviços e produtos que ofertem profissionais qualificados em roubos de dados e/ou ligações torna-se uma necessidade para que não se caia neste tipo de armadilha.

Leia também: Brasil é 4º País que mais sofreu ataques hacker em 2016; veja como se proteger

Conscientização

Trazer o assunto para a consciência da empresa já é um primeiro passo para proteger os equipamentos, os serviços e os dados empresariais. “O cliente precisa ser orientado a respeito - na parte de dados isso é mais comum - da necessidade de um firewall, de uma administração de redes; enquanto o fornecedor precisa também orientar, indicar opções, se preparar e fazer sua parte”, avalia Costa.

Outro passo importante para resolver os efeitos de um ataque é a comunicação entre si dos servidores de telefonia e internet, para que a possível invasão seja avaliada a tempo de roubos dos dados, pois quando existe toda a comunicação focada em um único fornecedor, a percepção e a dedicação dos profissionais são maiores e mais abrangentes no controle da segurança.

“E por fim, caso um ataque aconteça, e o cliente tiver um mantenedor com firewall, deve-se entrar em contato com o fornecedor urgentemente para que ele verifique o grau do prejuízo e bloquear a telefonia para evitar roubo ou extravio de ligações”, diz Costa.

Para concluir o especialista ressalta que se deve saber aonde investir, com quem investir e ter a certeza de que o dinheiro orçado pelos serviços está sendo bem aplicado na segurança contra um ataque hacker da empresa e na garantia mínima da saúde da mesma.

Leia também: Vírus ransomware também pode atingir usuários comuns: saiba como se proteger

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.