Tamanho do texto

“As músicas poderão ser compartilhadas nos parques, nos ônibus escolares, em socializações após as aulas, entre outras situações de lazer"; confira

Brasil Econômico

Colocou o volume no máximo e fez até mesmo uma conchinha com a mão na saída de som do seu smartphone, mas mesmo assim a música continuou baixa – ou não tão alta como gostaria? Conheça o aplicativo AmpMe e acabe com esse problema.

Leia também: BNDES aprova financiamento de R$ 2,6 mi para empresa de games; confira

Garanta o som alto mesmo com poucos recursos. Veja como utilizar o aplicativo
shutterstock
Garanta o som alto mesmo com poucos recursos. Veja como utilizar o aplicativo

A principal proposta do aplicativo que acabou de chegar ao Brasil é sincronizar músicas de diferentes dispositivos mobile com conexão Bluetooth e criar uma rede de alto-falantes potente. A novidade, desta forma, proporciona a realização de um momento de descontração de uma forma potencializada, podendo levar a festa a qualquer lugar, como o próprio app se apresenta.

A expectativa é que o AmpMe chegue a 500 mil pessoas compartilhando música pelo app no Brasil. Atualmente, a plataforma está presente em 144 países, o que inclui Estados Unidos, Canadá e França.

“Estamos criando um poderoso sistema de som capaz de sincronizar diversos aparelhos, além de dar um grande passo democrático para construir um universo mais portátil e com som de alta qualidade. Começamos com dispositivos móveis, como celulares e tablets, e agora estamos expandindo para todos os dispositivos com conexão Bluetooth ”, diz Martin-Luc Archambault, CEO do aplicativo.

Leia também: Conheça três recursos que vão facilitar o uso do YouTube no smartphone

Como funciona?

Primeiramente o anfitrião seleciona as músicas, artistas, álbuns e playlists e pressiona “Play”. Em seguida as pessoas que estão próximas – e que tenham o app baixado - podem participar digitando apenas o código da festa e esperar por alguns segundos. A sincronização também pode ser feita com aplicativos como Spotify e Youtube.

De acordo com o CEO, o público alvo do app são jovens entre 16 e 30 anos, que são as pessoas com maior sensibilidade às novas tecnologias. “As músicas poderão ser compartilhadas nos parques, nos ônibus escolares, em socializações após as aulas, entre outras situações de lazer e descontração”, exemplifica.

Vale destacar que no Google Play a avaliação da plataforma está em 4,2 estrelas. Nos comentários, muitos usuários se mostram satisfeitos com o aplicativo, os pontos negativos ressaltados dizem respeito à inclusão de mais apps e o tempo de sincronização levado. E aí, vai experimentar?

Leia também: Amazon pretende criar "colmeias" gigantes para drones usados em entregas

    Leia tudo sobre: aplicativo
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.