Tamanho do texto

Vírus chegou a atrasar voos na Ucrânia e afetar meios de comunicação na Rússia, país com o maior número de atingidos pelo malware até o momento

Vírus Bad Rabbit exige pagamento de 0,05 Bitcoin e aumenta o valor após determinado tempo
Reprodução/Eset
Vírus Bad Rabbit exige pagamento de 0,05 Bitcoin e aumenta o valor após determinado tempo

Uma nova onda de ciberataques tem atingido Ucrânia, Rússia, Alemanha e Turquia desde a última terça-feira (24). Chamado de Bad Rabbit, o vírus chegou a causar atrasos em um aeroporto ucraniano, pois os funcionários precisaram processar dados manualmente, e a afetar diversos meios de comunicação russos.

Leia também: Para não perder clientes para o YouTube, Amazon trabalha na produção de vídeos

Segundo pesquisadores do Kaspersky, o vírus infecta os computadores por meio de uma falsa instalação do Adobe Flash. Quando a vítima executa o arquivo baixado, o PC passa por um processo de criptografia. 

O Bad Rabbit é caracterizado como um malware de resgate. Isso significa que ele bloqueia as informações encontradas no computador e exige um pagamento para que seja feita a liberação. Os criminosos responsáveis pelo ciberataque pedem 0,05 Bitcoin – cerca de R$ 900 – para enviar uma chave capaz de descriptografar os arquivos.

Apesar disso, nada garante que o usuário realmente terá seus arquivos recuperados caso efetue o pagamento. Especialistas recomendam que as pessoas não aceitem dar dinheiro nestas situações, para evitar financiar e apoiar cibercriminosos.

Leia também: Game of Thrones: Conquest é lançado para iOS e Android

Para Roberto Stern, sócio-fundador da Adamos Tecnologia, o usuário deve ter cuidado com atualizações enquanto o malware não estiver invalidade. “Se os softwares comprometidos demandarem atualização nos próximos dias, orientamos a proceder com máxima cautela, e, na dúvida, não permita a atualização até que os antivírus estejam identificando a ameaça”

Ainda segundo o especialista, também é importante que os usuários protejam seus dados por meio de um backup criptografado, armazenando-os em uma nuvem a mantendo atualização constante. "Numa ocorrência desse tipo, eles podem ser resgatados e instalados novamente em qualquer outro computador, evitando, para as empresas, prejuízos relacionados ao tempo de parada ou interrupção de serviços; e, para o usuário final, a perda de documentos pessoais importantes”, afirmou.

Leia também: Saiba o que fazer quando o WhatsApp não exibe o nome de seus contatos

Outras medidas podem ser tomadas para evitar problemas com o vírus Bad Rabbit. É recomendável que usuários do Adobe Cloud fiquem offline e não acessem a nuvem por enquanto. Além disso, desabilitar o serviço WMI também pode ser uma boa opção.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.