Tamanho do texto

Ferramenta da rede social permite que usuários se inscrevam em processos seletivos com mais rapidez, pois informações já estão presentes no perfil

Facebook quer parte da popularidade do LinkedIn, que teve receita de US$ 1,1 bilhão no último trimestre
Reprodução
Facebook quer parte da popularidade do LinkedIn, que teve receita de US$ 1,1 bilhão no último trimestre

A lenta recuperação da economia ainda afeta a vida de muitas pessoas. Segundo dados o IBGE, cerca de 12,7 milhões estavam em situação de desemprego em janeiro deste ano. Por conta disso, diversas ferramentas de busca de emprego tentam atrair a atenção dos brasileiros. É o caso do Facebook, que lançou nesta quinta-feira (1º) sua ferramenta de vagas de trabalho para o Brasil e outras dezenas de países.

Leia também: Sem recursos, professor de computação viraliza ao desenhar Word em lousa

Com o novo recurso do Facebook, as empresas poderão publicar vagas em sua própria página, na seção de empregos da rede social, no Marketplace ou em anúncios exibidos no feed de notícias. O profissional, por sua vez, poderá utilizar as informações presentes em seu perfil, como experiência e formação, para se candidatar às vagas disponíveis na plataforma.

Leia também: Twitter lança recurso que permite salvar tuítes para ler mais tarde

De acordo com o site TechCrunch , a ideia da rede social é conquistar um pouco da participação do LinkedIn, principal plataforma para busca de empregos na internet, que teve receita de US$ 1,1 bilhão no último trimestre de 2017. Para isso, a companhia de Mark Zuckerberg deverá se concentrar em vagas que exigem baixa qualificação, em setores como alimentação e varejo.

A análise da companhia é que os profissionais que trabalham nesses segmentos não costumam utilizar o LinkedIn por não terem currículos que chamem a atenção das empresas. Ainda assim, seus últimos trabalhos são descritos no perfil do Facebook, permitindo que a plataforma conecte esses usuários com vagas que possam chamar a atenção.

Para procurar um emprego, será necessárioabrir uma aba específica para isso. A seção exibirá as vagas disponíveis com base em filtros como localização e tipo de emprego. Ao escolher uma vaga, o usuário poderá ver mais informações e se candidatar no processo seletivo. Se o seu perfil esteja completo, a rede social será capaz de preencher automaticamente um formulário com dados como nome, e-mail, telefone e experiências anteriores.

Leia também: Conheça o aplicativo que aluga guarda-chuvas em SP por preço simbólico de R$ 1

O principal desafio do Facebook deverá ser convencer os usuários de que suas postagens pessoals não os prejudicarão na busca por um novo trabalho. Para resolver esse problema, a rede social destaca que as empresas só poderão ver as informações que você compartilhou com elas e o que estiver público em seu perfil.

    Leia tudo sobre: Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.