Tamanho do texto

Richard Appiah Akoto encontrou uma solução para a falta de computadores em uma escola no interior de Gana e chamou a atenção nas redes sociais

Professor desenhou toda a tela do programa da Microsoft para alunos que fariam prova para passar ao ensino médio
Reprodução/Facebook
Professor desenhou toda a tela do programa da Microsoft para alunos que fariam prova para passar ao ensino médio

Um professor de computação ficou famoso na internet após demonstrar ser capaz de dar a melhor aula possível para seus alunos mesmo com a falta do recurso principal: o computador. Em seu perfil do Facebook, Richard Appiah Akoto, publicou fotos em que reproduzia na lousa toda a tela do Word, processador de texto da Microsoft. As imagens também mostram vários alunos acompanhando o que era passado por ele.

Leia também: Twitter lança recurso que permite salvar tuítes para ler mais tarde

De acordo com o site Quartz , Richard é professor em uma escola da cidade de Sekyedomase, localizada a cerca de duas horas e meia de Kumasi, a segunda maior cidade de Gana . A escola não conta com computadores desde 2011. Ainda assim, conhecimentos em informática são exigidos em um exame nacional para alunos conseguirem passar para o ensino médio.

Leia também: Conheça o aplicativo que aluga guarda-chuvas em SP por preço simbólico de R$ 1

"Ensinar informática em uma escola de Gana é muito divertido", disse Richard em sua publicação. "Eu amo meus alunos, então tenho que fazer o que for preciso para eles entenderem o que estou ensinando". Ao Quartz , ele explicou que esta não é a primeira vez que ele desenha o programa no quadro. Na verdade, ele faz isso sempre que é preciso. "Não sabia que a publicação teria a atenção das pessoas dessa forma", afirmou.

As imagens foram rapidamente compartilhadas nas redes sociais e chegaram até à empresária Rebecca Enonchong, que comanda uma empresa de tecnologia em Camarões. No Twitter, ela enviou uma mensagem à Microsoft: "com certeza vocês podem dar a ele os recursos apropriados". A empresa respondeu e prometeu ajudar o professor com um computador e acesso a programas educacionais..

A oferta foi criticada por muitos usuários, que entenderam que a empresa poderia ajudar com mais aparelhos. De acordo com Akoto, a escola precisaria de cerca de 50 computadores para resolver todos os problemas. Segundo ele, o exame se concentra na habilidade dos alunos de lembrar o que está no programa de estudos. No último ano, um de seus alunos, conseguiu tirar a nota máxima.

Leia também: Para evitar spam, WhatsApp avisará se uma mensagem veio de outra conversa

"Definitivamente, aqueles am Acra [capital de Gana] passarão no exame porque você não pode comparar alguém que está na frente de um computador, que sabe o que está fazendo com o mouse, com alguém que não teve a sensação de um mouse antes", disse o professor.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.