Tamanho do texto

Segundo Anatel, Brasil conta atualmente com 29.689.814 contratos de banda larga fixa. Claro segue líder com 30,53% de participação no mercado

Contratos de banda larga fixa chegam a quase 30 milhões no Brasil, um aumento de 8,91% nos últimos 12 meses
shutterstock
Contratos de banda larga fixa chegam a quase 30 milhões no Brasil, um aumento de 8,91% nos últimos 12 meses

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou nesta quarta-feira (2) que o número de contratos de banda larga fixa aumentou em quase 2,5 milhões ao longo dos últimos 12 meses. Depois de perder  1 milhão de contratos de TV por assinatura  e de desligar 1 milhão de linhas de telefone fixo  no mesmo período, as empresas de tecnologia finalmente puderam comemorar os quase 30 milhões de contratos de internet fixa registrados no país atualmente.

Leia também: Brasil tem redução de 1 milhão de contratos de TV por assinatura em 12 meses

Segundo a Anatel , o Brasil conta com exatamente 29.689.814 contratos de banda larga fixa ativos em março de 2018. Isso significa um aumento de 2.427.751 ou 8,91% em relação ao mês de março do ano passado. Já na comparação com fevereiro deste ano, o crescimento de 277.681 contratos representa 0,94% de aumento.

Divisão por empresas

Nos últimos doze meses, os provedores regionais foram responsáveis por 70% do aumento da banda larga fixa no país. Nesse ramo, 3.303.182 contratos foram finalizados e 4.997.497 foram registrados, o que representou um saldo positivo de 1.694.315 ou 51,29%.

Além deles, a Sercomtel foi a empresa que apresentou o maior crescimento percentual com 92.876 contratos que significaram 55,23% de aumento em relação à março de 2017. Em seguida veio a TIM  com 88.421 novos contratos (+25,85%). Já a Oi apresentou a maior queda com 190.870 contratos a menos (-2,97%).

Leia também: Brasil desliga mais de 1 milhão de linhas de telefone fixo em 12 meses

A Sercomtel também foi a empres que apresentou o maior crescimento em relação a fevereiro. Com novos 14.791 contratos ativos, o crescimento foi de 6,01% em comparação com o mês imediatamente anterior. Nesse período, os provedores regionais tiveram aumento de 166.438 contratos (+3,45%).

Apesar disso, a Claro seguiu tendo a maior participação no mercado. Com seus 9.065.268 de contratos de banda larga fixa, a operadora passou a contar com 30,53% do total registrado em março de 2018. Em segundo lugar veio a Vivo com 7.663.011 contratos (25,81%) e, em terceiro, a Oi com 6.226.017 ou 20,97% do total.

Divisão por estados

Na divisão geográfica, o estado de São Paulo foi quem registrou maior alta nos últimos 12 meses com crescimento de 550.145 novas redes de banda larga fixa (5,69%). Na sequência vieram Minas Gerais, com 351.958 novos contratos (+13,23%) e Paraná, com 237.124 (+12,48%).

Em termos percentuais, porém, os maiores crescimentos ocorreram no Maranhão e no Rio Grande do Norte onde 57.965 (+25,87%) e 63.197 (+22,39%) novas redes foram instaladas no período, respectivamente. No geral, quase todos os estados brasileiros apresentaram crescimento no período dos 12 meses contados entre março de 2017 e março de 2018, exceção feita a Roraima que obteve um saldo negativo de 69 contratos (-0,18%).

No comparativo apenas com o mês de fevereiro, porém, o estado de São Paulo novamente registou o maior aumento absoluto com 93.649 contratos de banda larga fixa assinados a mais apenas no mês de março. Minas Gerais, com 72.789, e Rio de Janeiro, com 31.132, vieram logo atrás. Em termos percentuais, porém, a liderança foi dividida entre Minas Gerais e Amazonas, ambos apresentando aumento de 2,48% na contratação do serviço.

Leia também: 69% dos brasileiros já têm acesso à internet pelo celular, afirma IBGE

Neste último mês, nove estados tiveram diminuição no número de contratos de banda larga fixa: Alagoas, Amapá, Ceará, Espírito Santos, Roraima, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. No entanto, esse déficit não foi suficiente para compensar o crescimento nos outros 15 estados e no Distrito Federal.

*Com informações da Anatel

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.