Tamanho do texto

Engenheiro Milind Raj passava pelo local quando ouviu latidos e resolveu adaptar um drone para salvar o animal. Após o resgate, "Lifted" foi adotado

Brasil Econômico

Filhote foi resgatado de córrego sujo em Nova Déli, na Índia
Reprodução/YouTube/Milind Rai
Filhote foi resgatado de córrego sujo em Nova Déli, na Índia

Um filhote de cachorro caiu num córrego sujo entre duas estradas em Nova Déli, na Índia, e lá permaneceu preso por dois dias. Nesta segunda-feira (7), porém, um engenheiro que passava pelo local ouviu seus "latidos de ajuda" e resolveu usar seus conhecimentos tecnológicos para resgatar o animal com um drone .

Leia também: Nova geração do iPhone vai contar com carregadores mais rápidos e potentes

O filhote não aparenta ter mais do que alguns meses de vida e, segundo o que testemunhas contaram ao canal indiano NDTV, estava em pânico antes de ser resgatado. O engenheiro indiano Milind Raj caminhava pelo local e foi o primeiro a localizar e identificar o animal preso dentro do córrego. A partir daí, começou a operação de resgate do cachorro que foi devidamente gravada e postada no YouTube.

Raj, que é especialista em robótica e inteligência artificial, adaptou um drone de seis motores, incluindo um garra no tamanho indicado do animal para conseguir capturar o bixo e trazê-lo de volta à terra firme. O objeto voador ainda foi equipado com monitores de respiração e frequência cardíaca para garantir que o filhote ficasse bem enquanto era retirado da sujeira. Além disso, havia um sensor de altura para indicar quando era seguro finalmente soltá-lo.

Leia também: Facebook vai lançar sua própria versão do "Tinder", anuncia Zuckerberg

O pequeno animal caiu por uma fenda na emenda entre duas placas de concreto que separam a valeta da rua. Felizmente, o filhote conseguiu ser salvo há tempo e acabou sendo adotado pelo próprio salvador e batizado de Lifted, "elevado" em inglês. Veja o vídeo completo:

Leia também: Twitter descobre bug e pede que usuários mudem de senha "por precaução"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.